Categoria: Curiosidades

A ciência explica: Por que as propagandas influenciam as pessoas?

Você já ouviu falar em gatilhos mentais? Neste conteúdo você vai descobrir por que as propagandas influenciam as pessoas.

Hoje em dia é raro encontrar quem nunca recebeu um anúncio no Facebook ou nunca viu um outdoor ao caminhar na rua. A publicidade tomou conta da nossa realidade e, com ela, o consumo ainda mais elevado de produtos e serviços.

Mas, por que as propagandas influenciam as pessoas?

Além do fator determinante “visibilidade”, a publicidade funciona por meio de estratégias comunicacionais que tem como objetivo persuadir outras pessoas a agir de uma determinada forma já pré-estabelecida pela marca.

Mas calma que tudo isso vai ficar bem claro de entender, é só continuar a leitura!

Como nosso cérebro lida com a publicidade?

Sabe quando você vê um comercial de hambúrguer e fica com fome instantaneamente? Ou assiste tantas vezes um anúncio de um tênis que acaba comprando? Esses são só alguns exemplos de como a publicidade tem relevância no nosso cérebro.

Se você perceber, somos relativamente mais “atiçados” a comprar algo quando a propaganda se baseia em algum apelo emocional ou em alguma meta que temos a longo prazo.

Ver uma pessoa bem-sucedida comprar um certo notebook, nos faz criar uma falsa ilusão de que, ao adquirirmos o mesmo, nós alcançaremos o patamar de vida deste ator.

Isso acontece porque nosso cérebro, instintivamente, está sempre comparando nossa situação atual com a realidade desejada.

Quando estamos mais dispersos ou distraídos, é comum que sejamos mais efetivamente atingidos por propagandas e anúncios, já que o nosso subconsciente estará quase vencendo a luta pelo controle de nossos pensamentos.

O que na psicologia é chamado de dissonância cognitiva, quando o pensamento da pessoa não se equivale às ações tomadas.

Claro, vale lembrar que a publicidade não tem o poder de nos fazer comprar alguma coisa que não queremos! Ela apenas antecipa e potencializa nossa decisão real de compra.

Gatilhos mentais: por que as propagandas influenciam as pessoas?

Quando o assunto é publicidade e marketing, falar de gatilhos mentais é um tópico obrigatório.

Os gatilhos mentais funcionam como um botão de emergência no nosso cérebro que, quando bem propostos em campanhas publicitárias, influenciam diretamente na compra e nas tomadas de decisão dos consumidores.

A maioria das escolhas que fazemos no nosso dia a dia são extremamente lógicas, porém, em alguns momentos o nosso subconsciente acaba tomando o controle. Esses momentos de tomadas de decisão inconsciente são ativados pelos gatilhos mentais.

Não é que eles sejam totalmente maquiavélicos e que nos façam uma lavagem cerebral, mas, como no nosso dia a dia temos milhares de decisões para tomar, às vezes nosso cérebro decide pegar um atalho e acaba caindo nos gatilhos mentais que nos incentivam a comprar cada vez mais.

Tipos de gatilhos mentais

Para aumentar seu conhecimento sobre o assunto, separamos os 5 principais gatilhos mentais para você ficar atento.

1 – Gatilho mental: autoridade

Pasta de dente é…?

Se você respondeu Colgate ou Sensodyne, tem grandes chances de você ter sido influenciado pelo gatilho mental da autoridade.

Este gatilho mental mostra que você pode confiar na opinião dessa marca, contando com a influência de alguma imagem relevante do segmento para gerar confiabilidade.

A Colgate é uma das marcas de pasta de dente que mais faz uso desse gatilho, sempre reforçando que os “dentistas recomendam”. Parece bobo, mas essa informação fica armazenada no nosso subconsciente.

2 – Gatilho mental: escassez

O gatilho mental da escassez é o terror de qualquer pessoa ansiosa. Como o próprio nome já diz, ele coloca uma pressão ainda maior na sua escolha, reforçando que se você não tomar a atitude de comprar o produto ou serviço naquele exato momento, você não terá mais esta oportunidade.

Aplicativos como a Shein fazem muito uso desse gatilho mental, sempre apresentando informações como “restam apenas cinco peças”.

Você pode ser contra o consumismo em massa, mas se você tem o desejo de adquirir certo produto, com certeza vai ficar mais motivado a efetuar o pagamento.

3 – Gatilho mental: prova social

Sabe aquele “efeito manada” que uma tendência de moda instagramável acaba causando? É efeito do gatilho mental da prova social.

Para o nosso cérebro, este é um dos gatilhos mais fácil de ser acionado, já que é só considerar a opinião da maioria para decidir o que fazer.

Este é o gatilho mental “Maria vai com as outras”, digamos assim. Claro, este gatilho não é só ligado ao lado mais superficial e raso, é também associado a exemplos como “mais de 60 mil alunos se formaram na escola X” ou “todos os dentistas tem escolhido a marca Y”, por exemplo.

4 – Gatilho mental: reciprocidade

O gatilho mental da reciprocidade é fácil de ser identificado no nosso dia a dia, sem que haja a necessidade de um esforço tremendo para encontrá-lo: sabe quando uma pessoa é gentil e você acaba tendo uma inclinação ainda maior para atender a um pedido dela? Então…

O gatilho mental da reciprocidade é acionado pelo sentimento de necessidade, fazendo com que você sinta a necessidade de retribuir de alguma forma uma atitude legal de alguém.

Receber cupons grátis ou promoções exclusivas são grandes exemplos de como este gatilho mental funciona na prática.

5 – Gatilho mental: evitar a dor

De forma geral, o ser humano foge da dor como o Cascão foge da água, valorizando as sensações de prazer e buscando ações que sejam meramente satisfatórias no dia a dia.

Justamente por isso é tão complicado começar a fazer dieta ou entrar para a academia, já que nosso cérebro fica constantemente nos convencendo de que é melhor deixar para lá.

Quando o quesito é publicidade, geralmente a comunicação das campanhas está associada ao que é mais vantajoso para você: “compre o produto Z e economize até R$ 100,00 no fim do mês”.

Atualmente, você encontra diversos materiais confiáveis na internet para estudar sobre gatilhos mentais. É só dar um Google que você acha!

Curtiu esta matéria? Então corre dar uma conferida no Blog do Museu WEG, lá você encontra conteúdos tão interessantes quanto este. Não esqueça de seguir o Museu WEG no Instagram, assim você sempre será avisado do que estiver saindo de novo por aqui.

Fontes:

Por que temos vontade de consumir o que vemos nas propagandas? – VivaBem Uol

O que são gatilhos mentais e como utilizá-los na sua estratégia de Marketing! – RockContent

O que são gatilhos mentais e como usá-los – Hotmart

10 curiosidades sobre a voz humana

Neste conteúdo você irá descobrir 10 curiosidades sobre a voz humana. Acesse agora!

Sabe aquelas perguntas que simplesmente surgem na cabeça, mas que você nunca parou realmente para pesquisar a resposta?  Chegou a hora de você solucioná-las!

Neste conteúdo você irá descobrir 10 curiosidades sobre a voz humana. Continue a leitura para saber mais.

Principais curiosidades sobre a voz humana

Listamos abaixo as 10 principais curiosidades sobre a voz humana. Confira!

1 – Cada voz é única

Não importa quanto você treine ou faça aulas de canto, você jamais conseguirá reproduzir a exata voz de outra pessoa. Isso acontece porque a voz varia entre 50 e 3.400 Hz, sendo diversificada conforme as pregas vocais, os lábios, a língua e diversas outras partes do corpo.

Outro ponto importante é que, assim como não conseguimos reproduzir a voz de alguém, não existem gravações que sejam 100% fiéis ao som gravado originalmente.

2 – Qualquer um pode cantar

Claro, existem pessoas com um talento natural ao dominar sua voz, mas isso não limita o aprendizado de quem não tem o dom bruto do canto. Como qualquer instrumento, com treino e dedicação é possível, sim, que você aprenda a dominar sua a voz e cantar de maneira afinada.

Se você perceber, cantores vão evoluindo o seu nível de canto, alcança técnicas mais elaboradas e controlando melhor a sua respiração gradativamente o. Isso tudo é resultado de estudo e prática.

3 – Todo mundo odeia a própria voz

Essa curiosidade, provavelmente, você pensou ser uma exclusividade sua, né?

Mas, de forma geral, a maioria das pessoas realmente odeia o som da própria voz. Isso acontece porque a voz ressoa e vibra dentro de toda a nossa cabeça quando falamos, ou seja, nós não a ouvimos como ela realmente é.

É justamente por isso que quando gravamos um áudio no WhatsApp e o ouvimos, percebemos que nossa voz está mais aguda e alta que o que pensamos ter ouvido ao falar.

4 – Dá de perceber a atração pela voz

Você não leu errado, a sua voz entrega quando você está gostando de alguém!

Geralmente quando existe algum sentimento de afinidade entre as pessoas, a voz adquire uma personalidade diferenciada. Tanto para homens quanto para mulheres, o maior indicador de atração está na tonalidade da voz: já que uma pessoa apaixonada tende a falar em tom mais baixo.

5 – Voz grave realmente é mais sedutora

Quem é que nunca viu um filme de romance onde o galã força a voz para deixá-la mais grave? Ou nunca se sentiu levemente interessado por uma pessoa que tinha naturalmente esta característica vocal?

Não tem um significado místico ou algo assim, a realidade é que pessoas com voz grave tendem a serem associadas a sentimentos de competência, força física e integridade.

6 – A mudança de voz tem a ver com a laringe

Sabe quando os adolescentes começam a mudar de voz? Isso acontece porque, antes da puberdade, a laringe dos meninos é menor e as cordas vocais são pequenas e finas. Após a puberdade, a laringe cresce e, conseguintemente, as cordas vocais crescem e engrossam, o que faz a voz ficar mais grossa.

Uma mudança bem mais evidente nos meninos que nas meninas. É justamente devido a esta mudança drástica e rápida que alguns meninos têm o famoso “desafinar” da voz ao falar.

7 – Cigarro altera a voz

O cigarro causa diversos problemas na vida de uma pessoa, como o câncer de garganta e dos pulmões, mas isso não é novidade para ninguém.

O que vale a pena ser mencionado é que pessoas que fumam com grande frequência tendem a ter voz mais grossa e rouca devido à inflamação nas cordas vocais.

Ao tragar o cigarro, todas as suas substâncias vão direto para a nossa garganta e, consequentemente, para nossas cordas vocais.

Justamente por isso, a inflamação causada pelo cigarro gera uma espécie de edema (ou acúmulo de muco) que transforma a voz aos poucos. Esta mudança é mais fácil de perceber principalmente nas mulheres, já que possuem cordas vocais mais finas.

8 – Falar na frente do ventilador distribuí a voz em várias direções

Quem nunca falou na frente do ventilador que atire a primeira pedra! Já parou para perceber que quando fazemos isso nossa voz adquire um tom mais “mecanizada” e ao estilo Darth Vader?

Isso acontece porque o ventilador corta as ondas sonoras criadas pela vibração das cordas vocais.

OBS: A gente sabe que você está pensando em ligar o ventilador só para testar…

9 – A voz muda conforme nossas emoções

Sabe aquela frase “pelo tom, já sei que está bravo”? Isso acontece porque, como qualquer outra reação metabólica do nosso corpo, ao sermos atingidos por emoções, acabamos sofrendo alterações significativas no nosso corpo físico, como é o caso das cordas vocais.

10 – Disfonia pode ser causada por postura corporal

Parece besteira, mas é 100% verdade! Falta de postura ou acidentes que afetam a forma óssea, podem, sim, causar disfonia vocal. Isso acontece porque a projeção da voz se deve a um conjunto de várias partes do corpo.

Quando você desalinha algum destes órgãos principais para a emissão da voz, alterações importantes podem acontecer.

Curtiu essa matéria? Se você gosta de ficar por dentro de novidades tão interessantes como estas, não esqueça de conferir o Blog e seguir o Museu WEG nas redes sociais. Assim, você não perde nenhuma matéria nova que será lançada por aqui!

Fontes:

9 fatos curiosos sobre sua voz – Revista Arco

10 fatos incríveis sobre a voz humana – Fatos Desconhecidos

O que acontece quando falamos pelo ventilador? – Recanto do dragão

Mudança de voz no adolescentes – Instituto Pensi

Cigarro pode provocar alterações na voz e perda óssea nos dentes – ACT

Aprenda brincando: Como resolver um cubo mágico?

Saiba como resolver um Cubo Mágico, como ele surgiu e quais os seus benefícios quando atrelado ao ensino de adolescentes!

Não importa a sua idade, você COM CERTEZA já viu um Cubo Mágico. Hoje em dia, até os mais novos já conhecem este brinquedo de lógica, graças ao TikTok, YouTube e Reels.

Além de ser encontrado muitos vídeos sobre a resolução correta de um Cubo Mágico, também existem pessoas que fazem verdadeiras obras de arte com este brinquedo!

Mesmo assim, poucas pessoas realmente percebem o quanto um Cubo Mágico pode auxiliar em questões cognitivas e na educação de crianças e adolescentes.

Nesta matéria você irá aprender como resolver um Cubo Mágico, como ele surgiu e quais são os seus benefícios quando atrelado ao ensino de adolescentes. Para conferir é só continuar a leitura!

Como surgiu o Cubo Mágico?

Também conhecido como “Cubo de Rubik”, o Cubo Mágico foi inventado em 1974, na Hungria, por Ernő Rubik.

Sendo um quebra-cabeça tridimensional rotativo, o Cubo Mágico foi desenvolvido com o intuito de treinar o pensamento espacial das pessoas, já que, naquela época, ainda era pouco ensinado sobre geometria nas escolas.

Mesmo com a popularização do brinquedo, o seu benefício para a sociedade não parou no quesito entretenimento.

O sucesso foi tanto que no começo da década de 1980, mais de 160 milhões de pessoas já haviam comprado o brinquedo, possibilitando o surgimento dos “cubers”. Cubers eram os jovens que ficaram famosos por possuírem uma super destreza na resolução do Cubo Mágico.

E nem precisamos voltar muito ao passado para entendermos a relevância deste brinquedo. Desde 2003 existem competições que registram recordes de velocidade na resolução do Cubo Mágico.

Até o momento de lançamento desta matéria, o recorde aponta a resolução de um Cubo Mágico padrão (3×3) em 3,47 segundos, batido por Yusheng Du, em 2018.

E, para você entender o peso da importância de um Cubo Mágico, existe um estudo que procura entender qual o menor número de combinações possível para resolver qualquer questão do Cubo Mágico: o God’s Number, o famoso Número de Deus.

Após mais de 30 anos, o menor número possível descoberto para resolver o Cubo Mágico é de vinte movimentos. Última informação interessante sobre sua história: mesmo com mais de 40 anos de idade, o Cubo Mágico continua sendo o brinquedo mais vendido do mundo.

Como o Cubo Mágico auxilia na educação?

A primeira resposta a essa pergunta é: diversão. Ensinar de forma divertida assuntos complexos como probabilidade, análise lógica e desenvolvimento de visão espacial é só o começo! 

Atrelar ensino e diversão é uma receita incrivelmente boa para garantir o envolvimento do aluno com o que está sendo ensinado.

Outro ponto que faz do uso de Cubo Mágico nas escolas uma ótima alternativa para os professores de matemática, está na diversidade de explicações possíveis sobre os mais diversos conteúdos ensinados.

Além dos benefícios intelectuais, que são possíveis ao casar o uso de Cubo Mágico no ensino, este quebra-cabeça possibilita que os estudantes sejam estimulados a vencerem seus próprios limites de compreensão, aumentando a autoestima a cada vitória. Vale a pena considerar o uso de Cubos Mágicos no estudo de crianças inseguras e que não são tão chegadas em matemática, hein?

Como resolver um Cubo Mágico?

Atualmente existem diversos vídeos na internet ensinando a montar corretamente um Cubo Mágico, mas para ficar mais fácil, encontramos um vídeo super didático que deixará este processo bem mais simples para você.

Ou seja, você só precisa repetir 5 vezes o padrão fixo de movimentos: ↑  ← ↓ →

Curtiu esta matéria? No Blog do Museu WEG você encontra muitos outros experimentos e atividades divertidas para você aprender sobre o mundo da ciência.

Você também pode aprender mais visitando o Museu WEG por meio de um Tour Virtual! Assim você não sai de casa e já aproveita para matar a curiosidade sobre tudo que o Museu WEG tem a oferecer!

Lembre de seguir no Museu WEG no Instagram! Assim você sempre será avisado das novidades que chegam por aqui.

Fontes:

Matemáticos acham ‘número de Deus’ para resolver o cubo mágico – BBC News

Os benefícios do cubo mágico nas aulas de matemática no ensino médio – Brasil Escola

História dos brinquedos: cubo mágico – Studhistoria

Segredo do cubo mágico: especialista dá dicas pra você tentar resolver este quebra-cabeça – G1

A ciência explica: Por que levamos susto e o que acontece com o nosso corpo?

Você sabe por que levamos susto e quais os efeitos causados no nosso corpo? Acesse e descubra a resposta com base na ciência.

A sala escura do cinema, o silêncio ensurdecedor do personagem principal caminhando para salvar a vida e BUM, um jump scare de tirar o fôlego! Quem é que nunca se assustou assistindo a algum filme?

Uma onda de sensações que percorre o corpo todo, rápida como um raio! Isso acontece porque o susto causa mudanças significativas em nosso corpo físico e mental. Mas você sabe por que levamos susto? Continue a leitura e descubra!

Por que levamos susto?

O susto acontece por ser um mecanismo de defesa, é como se fosse um acionamento do modo alerta de forma ultra repentina. Ao sermos assustados, nosso corpo deduz que estamos em perigo e “liga todos os motores” para enfrentar os perigos e garantir a sobrevivência.

É nesse momento que o sistema nervoso libera uma dose exagerada de adrenalina no nosso corpo, causando um evento biológico mega intenso.

O efeito do susto no corpo

Como o susto injeta uma dose caprichada de adrenalina, é comum que aconteçam muitas reações no nosso corpo. Confira os principais efeitos deste evento:

Batimentos cardíacos acelerados

A adrenalina causa grande aumento da pressão arterial, direcionando rapidamente grande parte do sangue para o cérebro e para os músculos, o que faz com que a pele fique fria e pálida.

Olhos arregalados

Para possibilitar uma melhor visão, o evento biológico causado pelo susto causa a retração das pálpebras (o que nos faz arregalar os olhos) e dilata as pupilas.

Contração involuntária dos músculos

Como o objetivo do corpo é garantir a sobrevivência, ele se prepara para entrar em combate a qualquer momento, contraindo diversos músculos de forma preventiva para auxiliar na luta.

Grito involuntário

Como o ser humano é uma espécie que viveu sempre em grupos, o grito involuntário durante o susto sugere um pedido de ajuda.

Avalanche de sentimentos

Os sentimentos mais comuns que antecedem o medo inicial, são a raiva, a ansiedade ou a vontade de chorar. Porém, para algumas pessoas, o susto causa inicialmente uma sensação de prazer e de dar risada (por isso que algumas pessoas adoram filmes de terror).

É possível morrer de susto?

Sim, é possível morrer de susto. Mas calma, não é todo mundo que pode sofrer um mal súbito e cair morto ao ser assustado.

Como já vimos nesta matéria, o susto libera adrenalina no nosso corpo e, devido ao aumento da pressão arterial causada por ela, é possível que a pessoa sofra um infarto.

Isso acontece porque, quando a pessoa que já tem artérias comprometidas, toma um susto, é possível que a passagem do sangue seja trancada (como uma torneira sendo fechada). Por isso é sempre bom manter a saúde em dia.

Gostou desse conteúdo? Acesse o Blog do Museu WEG para conferir mais matérias como essa! Você também pode seguir o Museu WEG no Instagram para sempre ser avisado quando forem publicados mais conteúdos interessantes.

Fontes:
Correspondente Médico: Como o cérebro reage ao susto? – CNN

O que ocorre no corpo durante um Susto – Leandro Teles

O que ocorre no corpo durante um susto – Grupo mais expressãoÉ possível morrer de susto? Dr. Kalil explica – Coração e Vida

Veja a lista completa de vencedores do Prêmio Nobel 2022

Prepare o tapete vermelho e acesse nosso conteúdo para conferir os cientistas e pesquisadores vencedores do Prêmio Nobel 2022.

12 de dezembro de 2022
...

Prepare o tapete vermelho e coloque seu traje de gala: a cerimônia de entrega dos Prêmios Nobel aconteceu no dia 10/12 e neste conteúdo vamos conferir a lista completa de vencedores do Prêmio Nobel 2022!

Mas antes de falarmos dos premiados, que tal conhecer um pouco mais sobre a maior premiação mundial de trabalhos do mundo?

Este prêmio anual é uma das maiores honrarias a serem recebidas para o reconhecimento de pessoas que trabalharam em ações ou pesquisas que beneficiaram a humanidade.

Como surgiu o Prêmio Nobel?

Alfred Nobel, o pai do prêmio que leva seu nome, foi um químico que enriqueceu muito com a invenção da dinamite. E o que isso tem a ver com o prêmio que busca promover a paz mundial, já que a dinamite matou inúmeras pessoas? Justamente isso.

Em 1888 um jornal local confundiu Alfred com seu irmão que havia morrido, ao noticiar o falecimento a descrição dada a Alfred pelo jornal foi o homem que descobriu como matar mais pessoas em menos tempo.

Ao refletir sobre o uso de suas dinamites em combate, Nobel decidiu abrir mão de sua fortuna em nome das pessoas que lutassem para promover a paz mundial.

Sendo assim, em seu testamento, Alfred Nobel dedicou 94% de toda a sua fortuna para que fosse criado o então conhecido Prêmio Nobel.

Em 1901, então, acontece a primeira edição da maior premiação acadêmica e em promoção da paz de todo o mundo. Um legado construído com o dinheiro deixado pela destruição, mas que consolidou a busca pela paz na humanidade.

Os vencedores do Prêmio Nobel 2022

Chegou o momento esperado: vamos conhecer um pouco mais sobre os vencedores do prêmio Nobel 2022 e suas pesquisas.

Prêmio Nobel de Física 2022

O Prêmio Nobel de Física 2022 foi para Alain Aspect, John F. Clauser e Anton Zeilinger, por “Experimentos com fótons emaranhados, estabelecendo a violação das desigualdades de Bell e pioneira na ciência da informação quântica”.

Os cientistas trabalharam com experimentos envolvendo o emaranhado quântico, classificados como inovadores. Nestes experimentos foi visto que duas partículas se comportam como uma única unidade, mesmo quando separadas.

A comissão do Prêmio Nobel identificou que esse trabalho de pesquisa contribui para o surgimento de uma nova tecnologia quântica e para interpretações fundamentais para mecânica quântica.


Prêmio Nobel de Química 2022

O Prêmio Nobel de Química deste ano foi concedido a Carolyn R. Bertozzi, Morten Meldal e K. Barry Sharpless, pelo trabalho “Desenvolvimento da química do clique e da química bio-ortogonal”.

O trabalho destes cientistas possibilitou um maior direcionamento no tratamento de pacientes com câncer.

A chamada “química do clique” diz respeito aos remédios e soluções farmacêuticas desenvolvidos para tratar o lugar correto no corpo dos pacientes, moléculas que podem ser interligadas como o “clique de um cinto”. 

K. Barry Sharpless foi o pioneiro nos estudos da química do clique, em 2.000, quando ganhou seu primeiro Prêmio Nobel. Morten Meldal, assim como K. Barry Sharpless, apresentaram uma reação utilizada para mapeamento de DNA. Mas foi graças ao trabalho de Carolyn R. Bertozzi que o nível dessas pesquisas se elevou, descobrindo como tornar essas reações de clique realmente eficazes em organismos vivos.


Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina 2022

Em 2022, Svante Pääbo foi o vencedor do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina pelo trabalho “Descobertas sobre os genomas de hominídeos extintos e a evolução humana”.

A pesquisa do cientista Svante Pääbo não só rendeu uma descoberta única e exclusiva sobre a evolução humana, como também originou uma disciplina científica que antes não existia: a paleogenômica.

O estudo de Svante sequenciou o genoma extinto do Neandertal, o que garantiu a descoberta de Denisova, outro hominídeo que viveu na antiguidade.

Como se isso tudo não bastasse, Pääbo também conseguiu confirmar que o Denisova foi extinto após a migração para fora da África, há cerca de 70.000 anos.


Prêmio Nobel de Literatura 2022

O trabalho premiado pelo Nobel de Literatura foi “Coragem e acuidade clínica no desvendamento das raízes, estranhamentos e restrições coletivas da memória pessoal” por Annie Ernaux.

A escritora francesa Annie Ernaux conquistou o Prêmio Nobel de Literatura de 2022 com sua obra autobiográfica, onde retrata a vida íntima de uma mulher que evolui com as grandes mudanças da sociedade francesa no pós-guerra.


Prêmio Nobel da Paz 2022

O Prêmio Nobel da Paz de 2022 foi destinado a Ales Bialiatski, a Organização Russa dos direitos humanos Memorial e a Organização Ucraniana Center for Civil Liberties, pelos muitos anos promovendo o direito de criticar o poder e proteger os direitos fundamentais dos cidadãos.

Eles fizeram um esforço notável para documentar crimes de guerra, abusos dos direitos humanos e abuso de poder. A vitória destas três referências foi entregue devido a sua representação de luta pela democracia.

Infelizmente, até outubro de 2022, não se sabe se Bialiatski conseguiu receber os telegramas da esposa e da comissão julgadora, onde anunciavam seu prêmio. Ales Bialiatski está preso, segundo o porta-voz da oposição, em condições desumanas.


Prêmio Sveriges Riksbank em Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel 2022

O Nobel de Economia 2022 foi concedido ao trabalho “Pesquisa sobre bancos e crises financeiras” feito por Ben S. Bernanke, Douglas W. Diamond e Philip H. Dybving.

Segundo a própria comissão avaliativa, as descobertas dos pesquisadores Ben S. Bernanke, Douglas W. Diamond e Philip H. Dybving possibilitam que haja uma melhora na forma como a sociedade lida com as crises financeiras, possibilitando uma maior compreensão no papel dos bancos na economia dos países.

Curtiu ficar por dentro dos ganhadores do Prêmio Nobel 2022? Então siga o Museu WEG no Instagram! Assim você sempre será avisado de quando conteúdos como este serão publicados novamente.

Você também pode conferir o Blog do Museu WEG para encontrar inúmeras outras matérias tão interessantes quanto esta, para acessar é só clicar aqui.

Fontes:
All Nobel Prizes – The Nobel Prize

Estudos que receberam o Nobel de Física 2022 podem ajudar no desenvolvimento de supercomputadores quânticos – Jornal da USP

Nobel de Química 2022 vai para trio que desenvolveu ferramenta criativa para construção de moléculas – G1

Nobel de Medicina 2022 vai para Svante Pääbo por descobertas sobre o genoma de ancestrais humanos extintos – G1

Annie Ernaux, escritora francesa, ganha Prêmio Nobel de Literatura 2022 – G1

Nobel da Paz vai para ativista de Belarus preso Ales Bialiatski e organizações da Rússia e da Ucrânia – G1

Ben Bernanke, Douglas Diamond e Philip Dybvig ganham Nobel de Economia 2022 – G1

A Prensa de Gutenberg: como essa invenção mudou o mundo?

Você já ouviu falar na Prensa de Gutenberg? Descubra por que ela foi inventada e como ela revolucionou o mundo da comunicação.

O livro na sua estante, os outdoors que você vê pela rua e os anúncios online que você recebe todos os dias são frutos de uma invenção muito mais antiga e que, quando foi inventada, revolucionou o mundo: a Prensa de Gutenberg!

Mesmo que hoje os jornais impressos não tenham tanta circulação e os portais de notícias digitais tomaram conta da maior parcela da divulgação de informações, todo o mundo que conhecemos hoje só foi possível graças ao pai da imprensa, Gutenberg.

“Mas como era o mundo da comunicação antes da prensa de Gutenberg e como ela foi inventada?”
Para descobrir estas e muitas outras respostas sobre a prensa de Gutenberg, é só continuar lendo este conteúdo!

Como era o mundo antes da prensa?

Na antiguidade, a comunicação era passada pelas gerações através da linguagem oral e, com o passar dos séculos, as pessoas desenvolveram meios de guardar estas informações através da escrita.

A ideia de contar com um documento físico, possibilitou que o conhecimento começasse a se difundir pelo mundo. Mesmo que a maioria da população ainda não soubesse ler ou escrever.

Com a evolução da escrita, começaram a surgir mais e mais formas de se comunicar de forma permanente com as outras gerações e pessoas da sociedade.

Os romanos desenvolveram seus Acta diurna, Acta Populi e Acta Urubis (as famosas revistas da época); os árabes sua Charta Damascena; os portugueses seu Chife; e muitos outros exemplos.

Mesmo com a criatividade do homem e a necessidade de divulgar conhecimentos, os materiais utilizados para a escrita eram muito caros e de difícil acesso, já que o papel como conhecemos hoje ainda não existia e todos os materiais escritos precisavam ser escritos a mão.

Até a invenção da xilografia, na China.

Antes que Gutenberg desse uma cara nova para a transmissão de conhecimentos, em 1.300, com mil anos de atraso, chegou à Europa o método de xilografia chinês, que, de forma bem resumida, trata-se de uma prensa de madeira com escritos em grande quantidade.

Mesmo com a melhora causada pela prensa chinesa, por volta do século XIV, Johann Gutenberg revoluciona o mundo da comunicação com a invenção de sua prensa.

O que foi e como surgiu a Prensa de Gutenberg?

A prensa de Johann Gutenberg foi uma espécie de máquina que conseguia mecanizar o processo da impressão, tanto de palavras simples quanto de livros inteiros.

O grande diferencial entre a invenção de Gutenberg e qualquer outra tecnologia de impressão da época, estava na forma como este mecanismo rudimentar operava: com letras e símbolos esculpidos em moldes feitos de chumbo, estanho e antimônio.

Diferente das outras prensas que contavam com tábuas de moldes fixos e únicos com base na mensagem, Gutenberg possibilitou que a prensa pudesse ser moldada manualmente com base no conteúdo que seria publicado, sem que fosse necessário criar outras tábuas a cada impressão.

Ou seja, a prensa de Gutenberg não só modernizou o processo de transmissão de conhecimento, que antes era um serviço ocioso dos escribas, mas também possibilitou a maior velocidade na reprodução dos materiais escritos. A invenção foi tão revolucionária que alcançou o desejo de todos, inclusive da Igreja Católica (não é à toa que o primeiro livro publicado foi a Bíblia). Foi graças à prensa de Gutenberg que a produção de livros decolou pelo mundo.

Como funcionava a Prensa de Gutenberg?

A prensa de Gutenberg funcionava como um carimbo gigante, onde era possível montar e desmontar a ordem das palavras e símbolos que estavam sendo usados para criar inúmeras outras mensagens. Para ficar mais claro e fácil de entender, você pode assistir o vídeo abaixo onde um profissional mostra na prática o funcionamento da prensa de Gutenberg.



Já pensou em inventar algo que revolucione o mundo como a prensa de Gutenberg? No Instagram do Museu WEG você encontra várias experiências divertidas e fáceis de fazer para dar uma variada na rotina. Acesse o perfil do Museu WEG e confira!

Não esqueça de dar uma olha aqui no Blog do Museu WEG para encontrar mais assuntos como este. É só clicar aqui.

Fontes:

Como funcionava a prensa de Gutenberg? – Superinteressante

Os primeiros livros impressos: 8 curiosidades sobre a prensa de Gutenberg – Aventuras na história

Invenção da imprensa – Brasil escola

O poder da empatia: por que nos emocionamos ao assistir um filme?

Existem muitos filmes que geram impacto nas pessoas, mas você sabe por que nos emocionamos ao assistir um filme? Descubra!

Quem nunca chorou assistindo Sempre Ao Seu Lado que atire a primeira pedra. Mas, além da choradeira que um bom filme de drama proporciona, quem é que nunca chorou de rir ao assistir um filme de comédia como Minha Mãe É Uma Peça?

É gigante a lista de filmes ou séries que geram algum tipo de impacto em uma pessoa, mas você sabe por que nos emocionamos ao assistir um filme? Empatia.

Neste conteúdo, descubra o porquê de sentirmos empatia com os personagens audiovisuais e saiba quais são os efeitos que um bom filme ou uma boa série causam no cérebro. Confira!

O que é empatia?

A chave para entender o porquê de nos emocionarmos assistindo um filme é saber o que é a empatia. Empatia é uma competência emocional que nos possibilita ver o mundo com sensibilidade “colocando-nos no lugar do outro”.

Uma pessoa empática consegue compreender os sentimentos alheios identificando o sentimento que sentiria caso vivesse uma situação parecida.

O que muita gente confunde quando se trata de empatia é que ela é algo muito mais profundo que apenas compreender uma situação. A empatia também é uma espécie de conexão que surge quando vivemos com o outro sem julgamentos, possibilitando que ele seja quem realmente é.

Outro mito envolvendo a empatia está na crença das pessoas de que ela é um sentimento, mas isso não é verdade. A empatia já é considerada um comportamento humano, portanto, ela pode ser aprendida e adquirida na vida de qualquer pessoa.

Tipos de empatia

Segundo os psicólogos Daniel Goleman e Paul Ekman, a empatia pode ser dividida em três tipos: a cognitiva, a emocional e a compassiva. Veja as diferenças de cada uma delas:

Empatia Cognitiva

Também conhecida como Tomada de Perspectiva, a Empatia Cognitiva está totalmente ligada à habilidade de compreender o que o outro sente e até o que ele pensa. Trata-se da preparação da mente para compreender a intelectualidade de outras pessoas.

Este tipo de empatia é muito estimulado na formação de líderes e de profissionais da área da comunicação.

Empatia Emocional

A Empatia Emocional (também conhecida como empatia afetiva) é a capacidade de sentir o mesmo que o outro está sentindo.

Existem relatos de pessoas que conseguem sentir a mesma dor que outra pessoa está sentindo; por isso, precisa ser muito bem trabalhada a fim de evitar que haja esgotamento psicológico.

Empatia Compassiva

Ultrapassando o “saber” e o “sentir”, a Empatia Compassiva está associada ao “fazer”. Uma pessoa empata compassiva não só entende os sentimentos e vivencia a dor ou o sentimento de outra pessoa, mas também se mobiliza para ajudá-lo.

Pessoas que lidam com esse tipo de empatia precisam estar atentas ao excesso de responsabilidade que geralmente abraçam.

Por que nos emocionamos ao assistir um filme?

Quando estamos assistindo a algum filme, as emoções são afloradas devido a um “bug” no nosso cérebro, já que ele não consegue diferenciar o que é um filme de o que é real.

O fenômeno que nos permite sentir emoções ao assistir a um filme ou a uma série acontece devido ao neurotransmissor [ocitocina]. De forma prática, a ocitocina possibilita que associemos a cena do filme com uma emoção que já conhecemos, como medo, alegria ou tristeza, por exemplo.

Quando os atores que estão representando o filme são realmente fantásticos, é muito mais fácil se emocionar ao assistir a história, já que mostram de modo muito convincente o que uma pessoa realmente sentiria naquela situação.

Já existem estudos que comprovam que pessoas que choram ao assistir um filme ou uma série são emocionalmente mais fortes, justamente por não terem medo de expressar seus sentimentos e por contarem com grande influência empática em suas ações.

E aí? Curtiu este conteúdo? Então não deixe de conferir o nosso Blog, lá você encontrará mais matérias tão interessantes quanto esta!

Fontes:

Um estudo neurocientífico afirma que as pessoas que choram vendo filmes são emocionalmente mais fortes – Incrível.club

O poder da empatia: como ela impacta a vida das pessoas? – Escola da Inteligência

Por que nos emocionamos assistindo filmes e séries? – Meon

Por que gostamos de séries e filmes que nos fazem chorar? – Cineclick

Conheça as 10 maiores bibliotecas do mundo

Quer aumentar seu repertório de curiosidades? Nesta matéria, você descobrirá quais são as 10 maiores bibliotecas do mundo.

16 de novembro de 2022
...

Bibliotecas cativam tanto os leitores assíduos quanto os turistas mais exigentes. No mundo inteiro, existem diversas pessoas que amam apenas entrar em uma biblioteca e contemplar seu interior (inclusive tem as que adoram o cheiro de livros).

E não é à toa! Além de contarem com histórias cativantes, muitas bibliotecas presentes no mundo são referência em arquitetura e criatividade.

Nesta matéria, você irá descobrir algumas curiosidades sobre as 10 maiores bibliotecas do mundo. Para descobrir, é só continuar lendo!

Ranking das 10 maiores bibliotecas do mundo

Separamos a lista, em ordem decrescente, das 10 maiores bibliotecas do mundo. Confira!

10. National Library of China, na China

Começando a lista, a Biblioteca Nacional da China ocupa o décimo lugar, mas não se deixe enganar por essa informação, já que estamos falando de 37 milhões de itens!

Antigamente conhecida como Biblioteca Imperial de Pequim durante sua inauguração em 1912, conta com o mais diversificado acervo de literatura chinesa de todo o mundo, assim como conta com a maior quantidade de documentos históricos do país.

Por ano, esta biblioteca contabiliza cerca de 5 milhões de visitas.

9. Bibliothèque Nationale de France, na França

É claro que a Biblioteca Nacional da França não ficaria fora desta lista, já que conta com um acervo de 40 milhões de itens.

Por mais incrível que possa parecer, esta biblioteca não foi a primeira em solo francês, sendo a sucessora da antiga biblioteca real que havia sido inaugurada em 1368 dentro do Palácio do Louvre.

A Biblioteca Nacional da França foi fundada em 1461, mas só em 1692 foi aberta ao público.

8. National Diet Library, no Japão

Não, a Biblioteca Nacional da Dieta não tem nada a ver com alimentação… Decepcionante, nós sabemos, mas, de modo geral, ela é tão importante para o Japão quanto a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos é importante aos norte-americanos.

Esta é a única biblioteca oficial do país. Falando de quantidade de itens, a Biblioteca Nacional da Dieta alcançou o marco de 42 milhões de itens.

7. Royal Danish Library, na Dinamarca

Construída em 1648 como uma biblioteca pública, em 1989, ela foi fundida à Biblioteca da Universidade de Copenhagen (fundada em 1482), o que faz da Biblioteca Real Dinamarquesa uma das maiores bibliotecas do mundo.

Com 43 milhões de itens, esta biblioteca está localizada em Copenhague e Aarhaus (sim, duas cidades diferentes).

6. Russian State Library, na Rússia

Com mais de 1,5 milhão de documentos digitalizados e 47 milhões de itens dispostos em pelo menos 275 km de prateleiras, a Biblioteca Estatal Russa ocupa o sexto lugar no ranking.

Antes de receber uma atualização em 1992, esta biblioteca ainda era conhecida como Biblioteca Estadual de Lenin da URSS.

5. Library and Archives Canada, no Canadá

Desde 2004, a Biblioteca e Arquivos do Canadá encontra-se em Ottawa e conta com 54 milhões de itens em exposição. O foco desta biblioteca é ser uma forma de preservar a história e a identidade nacional.

4. New York Public Library, nos Estados Unidos

Quando o assunto é “maiores bibliotecas”, a Biblioteca Pública de Nova York se destaca em quarto lugar. É reunida em um complexo de 92 prédios em todo o estado, com 55 milhões de itens, sendo considerada a maior fonte de busca da América até o surgimento das ferramentas de busca on-line.

3. Shanghai Library, na China

Mais uma biblioteca chinesa para a nossa lista das dez maiores bibliotecas do mundo! Com 56 milhões de itens dispostos em uma torre de pouco mais de 100 metros, a Biblioteca de Shangai foi construída em 1952, sendo fundida à antiga Biblioteca Zi-Ka-Wei (fundada em 1847).

2. Library of Congress, nos Estados Unidos

Claro que a Biblioteca do Congresso em Washington não poderia ficar de fora desta lista! Atingida por uma Guerra e por um incêndio catastrófico, a Library of Congress precisou atualizar seu inventário de itens algumas vezes para se manter de pé.

Atualmente, a Biblioteca do Congresso conta com cerca de 170 milhões de itens em exposição.

1.  The British Library, na Inglaterra

Com mais de 200 milhões de itens em exposição (e recebendo cerca de 8 mil novos títulos POR DIA), a Biblioteca Britânica fixou seu lugar no pódio como a maior biblioteca do mundo!

Fundada em 1973 a partir do British Museum, a British Library conta com um acervo totalmente gratuito.

BÔNUS: Biblioteca WEG

Você sabia que, em 13 de junho de 1980, a Biblioteca da WEG foi fundada?

Iniciada com o intuito de incentivar o gosto pela leitura em seus colaboradores, por meio de um pequeno acervo de livros doados pelo Prof. Walter Christian, nasceu a Biblioteca Prof. Walter Christian.

Em 2011, após uma parceria entre a WEG e o SESI, a biblioteca ganhou um novo espaço no Parque Fabril II, ocupando cerca de 200 m² de área construída.

Atualmente, a biblioteca possui um acervo de mais de 5 mil itens, abraçando diversos assuntos, como: generalidades, filosofia, religião, ciências sociais, línguas, arte, literatura, história, geografia e biologia.

Além disso, a Biblioteca da WEG conta com livros técnicos relacionados aos processos de fabricação e aos produtos da WEG.

Em 21 de maio de 2018, foi inaugurada uma sala de leitura em Itajaí. A sala tem 57,5 m² e conta com dois computadores para pesquisa e um acervo doado pelos colaboradores e pelo SENAI Itajaí.

Colaboradores de todas as unidades no Brasil podem solicitar o empréstimo de livros da biblioteca WEG via e-mail e receber via malote. ​Você é colaborador WEG e procura mais informações?

Ligue para o ramal *55 47 6400 ou mande e-mail para biblioteca@weg.net.

Curtiu este conteúdo? Então não deixe de seguir o Museu WEG no Instagram! Assim você fica por dentro de todas as novas matérias que são publicadas por aqui. Quer ler mais assuntos como este? Então confira o Blog do Museu WEG.

Fontes:

As 20 bibliotecas mais impressionantes do mundo – El País

Conheça as 5 maiores bibliotecas do mundo – Unama

As 10 maiores bibliotecas do mundo para amantes da literatura – Rotas de Viagem

TDAH

TDAH na escola: Como ajudar o aluno com estratégias pedagógicas

Você já ouviu falar em TDAH? Devido a uma grande repercussão na mídia, várias pessoas estão procurando auxílio médico e…

Você já ouviu falar em TDAH? Devido a uma grande repercussão na mídia, várias pessoas estão procurando auxílio médico e estão sendo diagnosticadas com TDAH, Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade.

Por outro lado, ainda há quem nem imagine que esse transtorno exista, associando os comportamentos de crianças com TDAH na escolaà rebeldia.

Justamente pela falta de conhecimento envolvendo esse transtorno, algumas crianças e adolescentes acabam sendo prejudicados em sua vida escolar e, em grande maioria, não chegam a receber o tratamento adequado.

Continue a leitura e saiba como ajudar no desempenho escolar do aluno com TDAH na escola.

O que é o TDAH?

Mesmo sendo um transtorno descoberto no século XIX, o TDAH já atinge cerca de 3 a 5% das crianças – em algumas instituições, os portadores ainda são desconsiderados dentro do sistema de ensino, dificultando assim o seu tratamento.

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é um transtorno causado em grau genético, sendo categorizado como um distúrbio neurobiológico crônico. Atualmente, o TDAH é reconhecido pela OMS com diferentes graus de intensidade, variando entre leve, moderado ou grave.

O TDAH é um transtorno que tem influência do ambiente onde a criança está inserida, embora existam estudos que comprovem outros fatores: a hereditariedade (que causa predisposição ao transtorno), sofrimento fetal (como problemas no parto), entre outras causas.

Leia também: Como funciona o cérebro humano

TDAH na escola

Tipos de TDAH e seus sintomas

Existem três tipos diferentes de TDAH, confira abaixo as diferenças:

TDAH Hiperativo

Também conhecido como TDAH Impulsivo, esta categoria do transtorno está associada à movimentação e à rapidez de pensamentos. É comum em pessoas mais agitadas que falam muito e com temperamento mais explosivo.

Essas pessoas acabam, muitas vezes, perdendo o raciocínio do que estão falando por já estarem pensando em outros assuntos.

TDAH Desatento

O portador de TDAH de Desatenção acaba sendo muito prejudicado na escola e em trabalhos regrados, isso porque não conseguem prestar atenção em um mesmo tópico por tanto tempo.

Além disso, pessoas com esse tipo de TDAH raramente conseguem seguir orientações detalhadas, apresentam também falhas de memória e facilidade de serem influenciadas por distrações.

TDAH Misto

A pessoa diagnosticada com o TDAH Misto conta com sintomas tanto do TDAH Hiperativo quanto do TDAH Desatento, facilitando no desenvolvimento de doenças psicológicas, como a ansiedade.

Apresentam sintomas como agitação constante de membros, balançar as pernas, estalar os dedos e entre outros.

Como identificar se meu aluno tem TDAH?

O diagnóstico seguro e recomendado é o oferecido por profissionais como neuropsicólogos, neurologistas, psiquiatras ou psicólogos clínicos. Porém, é importante estar atento ao comportamento da criança sem julgar os sintomas identificados.

Outro ponto fundamental para o tratamento de uma criança com TDAH é reforçar a importância da comunicação com seus pais e professores, sempre deixando a criança confortável para se expressar.

TDAH

Como auxiliar o desenvolvimento de crianças com TDAH na escola?

Na questão escolar, é aconselhável que os pais participem efetivamente da educação de seus filhos.

Quanto à rede de ensino, é necessário que a didática das aulas seja adaptada para possibilitar que os alunos com TDAH consigam compreender o que está sendo ensinado. Existem diversas técnicas que poderão facilitar o aprendizado desses alunos. Por exemplo:

◦ Trabalhar a atenção e a memória do aluno com ações diárias, por exemplo: dar uma instrução e pedir ao aluno que repita ou compartilhe com um amigo.

◦ Ao aluno finalizar uma atividade, passar um feedback positivo de imediato.

◦ Dar suporte e encorajamento através de parceria e adaptações. Ter uma atitude positiva e não o criticar por falhas de desempenho.

◦ Trazer mais diversidade de materiais para uso na aula, sempre que possível, audiovisuais. Isso trará mais interesse do aluno e mais atenção. Além do uso de sinais visuais e orais.

◦ Aplicar aprendizagem ativa através de trabalhos em duplas e respostas orais.

◦ Ter cuidado com o ambiente na sala de aula, trabalhar o layout em um formato que evite distrações.

◦ Respeite o tempo que o aluno precisa para desenvolver uma atividade.

◦ Defina metas claras e possíveis para que o aluno execute as tarefas, se possível, utilize gráficos para explicar a ele.

◦ Combine momentos específicos e permita que o aluno se levante, isso ajudará na inquietação.

É preciso que crianças, adolescentes e até mesmo adultos que desconfiem tardiamente de sua condição psicológica busquem ajuda médica. Quanto mais rápido o tratamento começar, mais chances de ter um bom desenvolvimento social.

Leia também: Aprender brincando: vantagens de jogos e brincadeiras na aprendizagem infantil

Gostou desta matéria? No Blog do Museu WEG, você encontra mais assuntos tão interessantes quanto esse! Você também pode seguir o Museu no Instagram e no Twitter para receber as novidades em primeira mão.

Fontes:

TDAH na escola: tudo que o gestor escolar precisa saber – Escolas exponencial

Algumas estratégias pedagógicas para alunos com tdah – ABDA

TDAH: O que é e como influencia na aprendizagem escolar – Mackenzie

TDAH (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade) – DR DRAUZIO

O que é Musicoterapia e quais são os efeitos que a música causa no cérebro?

Você sabia que a música pode aliviar sintomas de doenças cardíacas e neurológicas? Veja o que é Musicoterapia e quais são os seus efeitos!

A música tem poderes únicos em nossa vida, podendo aumentar o suspense, causando arrepios, contando uma história de amor e entre outras formas de expressão.

Em filmes e séries, encontramos o uso da música de modo presente quase como um personagem que faz parte da narrativa. Ela tem tanto o poder de nos emocionar como o de transformar ainda mais a nossa interpretação de beleza. 

Não é à toa que, através do avanço da medicina e das pesquisas, a música tenha sido tema de estudos e que a Musicoterapia tenha sido criada. Para saber o que é Musicoterapia e quais são os efeitos que ela tem no cérebro, continue a leitura.

Mas, e o que é Musicoterapia?

Resumidamente, a musicoterapia é uma modalidade terapêutica na qual se utiliza músicas com letras ou apenas instrumentalmente, que possibilitam acionar diversas partes específicas do cérebro durante as sessões auxiliando na melhora da qualidade de vida.
Quem descobriu essa técnica foi Paul Nordoff, compositor e pianista, e Clive Robbins, professor de crianças especiais.

Durante alguns estudos, foi comprovado que a música tinha o poder de estimular, notoriamente, o cérebro, auxiliando na melhora comunicacional e possibilitando um estilo de vida mais criativo.

Muito além de ouvir uma música nos períodos de lazer, a musicoterapia conta com diversas abordagens diferentes, podendo ser realizada tanto de forma passiva (ouvindo música) como de forma ativa (tocando instrumentos).

Efeitos da musicoterapia no cérebro

O poder da música é tão grande que, através dela, é possível formar novas conexões cerebrais e, ao ser reconhecida pelo cérebro, reativar lembranças.

Uma das principais substâncias liberadas é a serotonina, o hormônio da felicidade, responsável por proporcionar ao nosso cérebro a sensação de bem-estar.
Devido a esse fator, é muito comum encontrar músicas que relembrem sensações individuais, causando uma nostalgia. Essa memória musical pode auxiliar na hora de estudar para uma prova ou eternizar momentos únicos.

Outro benefício proporcionado pela musicoterapia é o “acalmar da mente”, possibilitando o relaxamento e a melhora da respiração, assim como: auxiliar no ritmo, na velocidade e no equilíbrio ao caminhar, assim como reduzir os riscos com quedas.

A Musicoterapia auxilia na melhora de doenças?

A musicoterapia é uma ótima ferramenta no tratamento de doenças! Já foi comprovado que ouvir música melhora a frequência cardíaca e respiratória, podendo atuar como um método de prevenção para diversas doenças.

O tratamento pode auxiliar tanto em transtornos neurológicos como em sintomas causados pela demência e derrames. Também pode ajudar na melhora de Parkinson, amnésia, afasia e sintomas de TEA (Transtorno do Espectro do Autismo).

Projetos WEG: Música para a comunidade

A WEG está sempre buscando auxiliar no melhor desenvolvimento das comunidades em que está inserida, oferecendo diversos programas musicais gratuitos.

Em Jaraguá do Sul (SC), os moradores podem buscar por cursos gratuitos de música na Scar, como o Música Para Todos (MPT). Existem também projetos musicais disponíveis através da Associação Musical de Ribeirão Preto (SP) que você pode conferir acessando o site.

Fontes:

Estudo revela que musicoterapia pode reparar danos cerebrais – Olhar Digital

O efeito da musicoterapia no nosso corpo – A mente é maravilhosa

Musicoterapia: o que é, para que serve, como funciona e benefícios – TJDFT