Tag: museus

Semana

Museu WEG na 18º Semana de Museus: confira a programação

O tema definido para a edição de 2020 é: “Museus para a Igualdade: diversidade e inclusão”.

As coisas andam um pouco diferentes, e é reinventando o jeito chegar até vocês que o Museu WEG participa de mais uma Semana de Museus. A ação é permanente e coordenada pelo Ibram – Instituto Brasileiro de Museus. Desde 2003, ocorre anualmente em todo o território nacional em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio). 

 

Em todas as edições, o Ibram empreende um conjunto de ações que visa à mobilização das instituições a partir de uma programação especial em torno do tema sugerido pelo ICOM – Conselho Internacional de Museus. O tema definido para a edição de 2020 é: “Museus para a Igualdade: diversidade e inclusão”. O Museu WEG é referência em acessibilidade e, unindo a experiência com o tema proposto, pretende fazer com que pessoas com necessidades especiais se sintam ainda mais convidadas a participarem dessa história.

 

O formato neste ano não poderia ser diferente: para falar sobre o assunto, acontecerão duas lives no Instagram do Museu nos dias 18 e 20 de maio. No Instagram, as convidadas irão discorrer um bate-papo sobre acessibilidade em museus e espaços culturais, conceitos sobre acessibilidade e os desafios que este campo tem dentro dos espaços culturais, assim como acessibilidade museológica em tempos de pandemia e pós pandemia. O público também poderá participar enviando perguntas que serão respondidas ao final das lives.

 

Programação

 

Live: Autismo e inclusão nos Museus: uma visão familiar!

Dia 18/05/2020 às 19h

Mediação: Patrícia Tatiane Schubert – Educadora no Museu WEG

Convidada: Alessandra Caputo Costa — Química industrial e mãe realizada de duas pessoas fantásticas, sendo uma delas com autismo.

Convidada: Juliana Elis Müller de Jesus — Psicóloga. Formação em Psicodrama. Formação em Neuropsicologia. Especialista em Gestão de Pessoas. Especialista no Transtorno do Espectro Autista. Trabalha há quase cinco anos na Associação de Amigos do Autista.

  

Live: Acessibilidade em Museus: para quê e para quem?

Dia 20/05/2020 às 16h

Mediação: Gabriella Eger Lux – Coordenadora Museológica no Museu WEG

 Convidada: Amanda Tojal – Arteinclusão

Currículo: Museóloga e Educadora de Museus. Graduada em Educação Artística pela Faculdade Armando Álvares Penteado e Pós-graduada em Museologia pela Faculdade de Sociologia e Política de São Paulo. Mestre em Artes e Doutora em Ciências da Informação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo. Consultora em Acessibilidade e Ação Educativa Inclusiva para públicos com deficiências em museu e instituições culturais como, Museu de Arte Contemporânea da USP, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu do Futebol/SP, Museu Casa de Portinari (Brodowski/SP), M.H.P. Índia Vanuíre (Tupã/São Paulo), Museu WEG de Ciência e Tecnologia/SC, Museu Oscar Niemeyer (Curitiba/PR), Museu de Arte do Rio/RJ, Museu do Amanhã/RJ, Museu Felícia Leirner (Campos do Jordão/SP), Reserva Natural Sesc em Bertioga/SP, entre outros. Docente de cursos de formação em Acessibilidade Cultural e Ação Educativa Inclusiva em diversas instituições do Brasil. Curadora da Exposição Itinerante para públicos inclusivos “Sentir pra Ver: gêneros da pintura na Pinacoteca de São Paulo”, desde 2012. Vice-presidente e Conselheira do Conselho de Museologia (COREM 4R), gestões 2013 a 2018. Sócia diretora da empresa Arteinclusão Consultoria em Ação Educativa e Cultural, desde o ano e 2003.

 

Gostou? Será uma semana incrível e de muito conhecimento! Contamos com sua presença nas lives. <3 Para não perder, siga o Museu WEG no Instagram: www.instagram.com/museuweg

 

colorir

Colorir e aprender: ação especial de Dia das Crianças

Outubro é o mês das crianças e, durante todo o mês, queremos ampliar o acesso à cultura e visibilidade dos museus mostrando para crianças e educadores que aprender e ensinar pode ser muito divertido.

Além das funções de preservar, conservar, expor e pesquisar, os museus são instituições a serviço da sociedade e cada vez mais buscam criar ações educativas a fim de tornarem-se elementos procurados dentro do movimento cultural das cidades.

As sessões interativas de educação estão entre as formas mais poderosas e eficazes de atender às necessidades das crianças, um público nem tão tradicional nos museus. As atividades interativas permitem aos pequenos visitantes um olhar interrogador, sem necessidade de conhecimento prévio. As conversas são estimuladas, e o museu também atua como um espelho, fazendo conexões entre as suas próprias vidas e experiências no âmbito físico, intelectual, emocional e tecnológico.

 “Quando o tema é aprendizagem de assuntos relacionados a ciência e tecnologia, os museus desempenham um papel tão importante quanto as escolas.”

 John H. Falk – Institute for Learning Innovation

A escola e a família possuem um papel muito importante para diminuir as barreiras de acesso aos museus, por meio do incentivo à visitação, traremos mais crianças e adolescentes para utilizarem nosso espaço para reflexão, entretenimento e aprendizagem.

 Ao visitarem o Museu WEG, as crianças passam por experiências interativas e desenvolvem a curiosidade pela pesquisa, ciência e tecnologia.  A história e a teoria, desde cedo e de forma simples, entram no cotidiano das crianças e às convidam para encontrar novas razões para o envolvimento com os estudos.

 ***

Para homenagear as crianças da nossa cidade, neste mês os pequenos visitantes poderão participar de uma atividade de pintura em um espaço com mesas, lápis de cor e um desenho super divertido para colorir. Os desenhos deverão ser coloridos e preenchidos com nome e contato, eles ficarão em exposição no Museu até o dia 31 de outubro, neste dia haverá sorteio de brindes entre os participantes. Se a visita for rápida, as crianças poderão levar o desenho para casa e trazê-lo outro dia, até o fim do mês.

Todos os desenhos estarão concorrendo a brindes, sem exclusões. Os ganhadores do sorteio serão divulgados em nossa página do Facebook.

Modelo do desenho para colorir

Modelo do desenho para colorir

O quê? Dia das Crianças no Museu WEG

Quando? De 03 a 31 de outubro

Para quem? Crianças (sem limite de idade)

Onde? Museu WEG de Ciência e Tecnologia

Quanto? Gratuito

museus-do-brasil

200 anos da presença dos Museus no Brasil

Neste mês de junho, o Brasil comemora 200 anos da criação do primeiro museu brasileiro: o Museu Nacional e da…

Neste mês de junho, o Brasil comemora 200 anos da criação do primeiro museu brasileiro: o Museu Nacional e da presença contínua dos museus na vida social brasileira.

Foi em 1818 que o Rei Dom João VI decretou a criação do primeiro museu brasileiro: o Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Na época, chamado de Museu Real, o casarão foi a residência oficial da família real portuguesa e posteriormente abrigou a primeira Assembleia Constituinte da República.

Desde sua criação, os museus se multiplicaram por todo território nacional. Hoje são mais de 3.800 instituições voltadas para a construção e ampliação de diálogos com suas comunidades.

Ao longo de dois séculos, os museus brasileiros assumiram diferentes modelos, ampliaram suas áreas de atuação e acima de tudo marcaram a cultura brasileira. São memórias, acervos, documentos e imagens que registram histórias de diferentes campos do conhecimento.

 

O Museu Nacional
Pensado para propagar o conhecimento e o estudo das ciências naturais em terras brasileiras, a primeira instituição museológica e de pesquisa do Brasil segue seu pioneirismo com estudos de ponta e acervo enriquecido constantemente.

Hoje reconhecido como centro de excelência de pesquisa em história natural e antropológica na América Latina, o Museu Nacional tem um acervo de mais de 20 milhões de itens, constituído principalmente por materiais relacionados às áreas de Antropologia, Botânica, Entomologia, Geologia e Paleontologia.

Entre as preciosidades do Museu, estão 1560 peças raras, mais de 26 mil fósseis nas coleções paleontológicas e o maior meteorito brasileiro, com 5,36 toneladas, o chamado Bendengó. O espaço abriga ainda os ossos e a reconstituição facial de Luzia, fóssil humano mais antigo do Brasil, com mais de 12 mil anos.

200 anos dos Museus no Brasil
Para comemorar esse marco, o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) vai realizar um seminário temático no Rio de Janeiro e vai lançar uma edição especial da MUSAS – Revista Brasileira de Museus e Museologia.

Aproveite esse mês de aniversário dos museus para conhecer o Museu WEG e outros museus de Santa Catarina. Listamos 10 Museus diferentes em Santa Catarina que você precisa conhecer. Confira!

Fonte: Ibram e Museu Nacional

museus-sc

10 Museus diferentes em Santa Catarina que você precisa conhecer

A poucos quilômetros do Museu WEG de Ciência e Tecnologia, acervos dedicados a diferentes áreas do conhecimento estão acessíveis ao…

A poucos quilômetros do Museu WEG de Ciência e Tecnologia, acervos dedicados a diferentes áreas do conhecimento estão acessíveis ao público geral. São museus criados e mantidos por instituições públicas e privadas, com o objetivo comum de preservar, pesquisar e expor objetos de caráter cultural ou científico.

Este é o propósito que justifica a existência destes espaços. A Lei 11.904, de 2009, ao instituir o Estatuto de Museus no Brasil, criou uma definição específica no âmbito nacional:

“Consideram-se museus, para os efeitos desta Lei, as instituições sem fins lucrativos que conservam, investigam, comunicam, interpretam e expõem, para fins de preservação, estudo, pesquisa, educação, contemplação e turismo, conjuntos e coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou de qualquer outra natureza cultural, abertas ao público, a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento.”

Outro dia nós mostramos aqui museus que são referência no fomento à ciência e tecnologia no país. Hoje vamos concentrar nossa atenção em Santa Catarina e na região de Jaraguá do Sul, onde fica o Museu WEG, mas com uma proposta diferente. Mapeamos alguns museus dentro desta delimitação geográfica, porém a partir das tipologias, ou seja, do tipo de acervo que salvaguarda e sua narrativa.

Antropologia e Etnografia: coleções relacionadas às etnias, voltadas para o estudo antropológico e social das diferentes culturas. Acervos folclóricos, artes e tradições populares, indígenas, afro-brasileiras, do homem americano e do homem do sertão, por exemplo, compõem essa tipologia.

Museu Nacional do Mar – São Francisco do Sul/SC

Arqueologia: coleções de bens culturais portadores de valor histórico e artístico, procedentes de escavações, prospecções e achados arqueológicos.

Museu Arqueológico de Sambaqui – Joinville/SC

museus-sc

Artes Visuais: coleções de pinturas, esculturas, gravuras, desenhos, incluindo a produção relacionada à arte sacra.

Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) – Florianópolis/SC

Ciências Naturais e História Natural: bens culturais relacionados às Ciências Biológicas (Biologia, Botânica, Genética, Zoologia, Ecologia etc.), às GeoCiências (Geologia, Mineralogia etc.) e à Oceanografia.

Museu Oceanográfico Univali – Piçarras/SC

museus-sc

História: bens culturais que ilustram acontecimentos ou períodos da História.
Museu Histórico Emílio da Silva, Museu Wolfgang Weege e Museu da Paz – Jaraguá do Sul/SC
Imagem e Som: documentos sonoros, videográficos, filmográficos e fotográficos.

Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS) – Florianópolis/SC

museus-sc

Virtual: bens culturais que se apresentam mediados pela tecnologia de interação cibernética (internet).

Museu Virtual Memória da Propaganda

Ciência e Tecnologia: bens culturais representativos da evolução da História da Ciência e da Técnica.

Museu WEG de Ciência e Tecnologia – Jaraguá do Sul/SC
Agora que já foi apresentado, aproprie-se destas informações para montar sua agenda cultural quando vier a Santa Catarina. E se você mora na região, bom, aí não faltam motivos para começar já sua incursão e enriquecer seu conhecimento sobre as descobertas do homem e sua relação com diferentes povos, culturas e valores.

museus-1

Conheça museus que fomentam a Ciência e Tecnologia pelo Brasil

Assim como o Museu WEG, o Brasil conta com diversas outras iniciativas, privadas e públicas, para registrar a história e…

Assim como o Museu WEG, o Brasil conta com diversas outras iniciativas, privadas e públicas, para registrar a história e fomentar a ciência e tecnologia em diferentes espaços. Por acreditar que o intercâmbio, a troca de conhecimento e o aprendizado contribui para o enriquecimento cultural e científico, apresentamos aqui outros museus no país que tem a interatividade como um dos seus pontos fortes e, acima de tudo, a ciência e tecnologia no seu DNA.

Museu de Ciência e Tecnologia (MCT) – PUCRS 

museus-2

 

Suas coleções abrigam um vasto acervo de fósseis, espécimes representantes da biodiversidade e peças provenientes de escavações arqueológicas, que são objetos de pesquisa de mestrandos e doutorandos de várias partes do mundo.
As exposições no museu gaúcho são elaboradas para despertar a curiosidade e o gosto pelas ciências, valorizando a participação do visitante com experiências lúdicas e inusitadas. São cerca de 700 experimentos interativos, em 22 áreas do conhecimento.

Os eventos e atividades também são outro atrativo para públicos distintos, como Férias no Museu, Aniversário genial, Minuto da Ciência e show de eletrostática.

Catavento Cultural e Educacional

museus-3

Tocar um meteorito de verdade, encontrar Gandhi em uma escalada, conhecer o corpo humano por dentro, entender como funciona um gerador de energia ou ainda descobrir que o Sol, visto de perto, não é tão redondo como parece quando se está na praia. São estas algumas das experiências proporcionadas no Catavento Cultural.

O museu fica em São Paulo e, dividido entre os eixos Universo, Vida, Engenho e Sociedade, tem como atrações o miniplanetário, o passeio digital, a seção de eletromagnetismo e o aquário com peixes de água salgada.

Museu de Astronomia e Ciências Afins – MAST

museus

Uma iniciativa pública, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, o MAST tem sua sede na cidade do Rio de Janeiro. É o lugar ideal para quem se interessa pelo espaço sideral e seus elementos: estrelas, planetas e cometas.

O acervo do MAST conta com aparelhos usados pelo Observatório Nacional (ON) para a observação da luz dos astros, como diversos tipos de luneta. No Programa de Observação do Céu, o público pode fazer visitas noturnas para enxergar através de telescópios, binóculos e até por uma luneta centenária.

Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas

museus

No prédio da primeira instituição brasileira a formar geólogos, em Ouro Preto, funciona o Museu de Ciência e Técnica da Escola de Minas. Nele, o visitante pode conferir de perto fósseis e esqueletos de animais atuais, como porco, golfinho e ornitorrinco.

Um dos destaques é a sala de mineralogia, onde estão expostas rochas e minerais do mundo inteiro. O passeio termina em uma sala onde crianças e adultos podem se divertir com experimentos científicos de eletricidade, cinética e ótica.

A diversidade do nosso país se reflete na composição e na diversidade dos acervos museológicos. Anote essas indicações e, quando visitar alguma dessas cidades, aproveite para se divertir ao mesmo tempo em que aprende sobre ciência e tecnologia.