Tag: ano novo

Calendário gregoriano: por que o ano termina no dia 31 de dezembro?

Afinal, por que o ano termina no dia 31 de dezembro?

Muitos historiadores acreditam que o Ano-Novo foi o primeiro feriado a ser comemorado pelos povos antigos. Existem registros de que essa festa acontecia na Babilônia desde 2.000 a.C. 

A passagem de ano muda de acordo com o país e a cultura que está inserida. No Brasil, celebramos o Ano-Novo no dia 1° de janeiro, na China, a festa acontece no início de fevereiro. 

Para os judeus, no final de setembro; para os muçulmanos, a passagem do ano ocorre durante o mês de maio.

A noite em que comemoramos a passagem de ano é nomeada de “réveillon”, a palavra tem origem francesa e significa “despertar, acordar”, uma referência ao novo ano que se inicia.

Para entender a origem dessa festa, precisamos entender o calendário gregoriano. Vamos lá?

O que é e como surgiu o calendário gregoriano?

A palavra calendário vem do latim calendarium, que significa livro das calendas – esse livro era usado na Roma Antiga para contar os dias das festividades religiosas marcadas no início de cada mês lunar.

O calendário gregoriano, também conhecido como cristão ou ocidental, é o calendário solar para contagem dos anos, dos meses, das semanas e dos dias pela maioria dos países, incluindo o Brasil, e que tem como base as estações do ano.

Surgiu com o objetivo de corrigir os erros do calendário anterior: o calendário juliano, que não contemplava o movimento de translação da Terra, ou seja, o tempo que a Terra demora para dar volta em torno do Sol. 

O novo calendário foi criado na Europa em 1582 por iniciativa do papa Gregório XIII, que dá origem ao nome gregoriano, e tornou-se o mais usado no mundo atualmente. O calendário gregoriano não é perfeito, mas é mais preciso do que o seu antecessor.

O calendário gregoriano surgiu para corrigir o calendário juliano.

Entre os defeitos dele estão: a irregularidade da duração dos meses, que possuem entre 28 a 31 dias, a relação entre a data e o dia da semana e a mobilidade de datas cristãs, como a Páscoa.

Como funciona o calendário gregoriano?

A implementação do calendário gregoriano permitiu ajustar o calendário com os eventos astronômicos, como o equinócio de primavera e o solstício de inverno. Conheça algumas curiosidades:

  • É um calendário solar, baseado no movimento da Terra ao redor do Sol.
  • Possui 365 dias que são divididos em 12 meses, desses, 4 meses possuem 30 dias (abril, junho, setembro e novembro), e 7 meses possuem 31 dias (janeiro, março, maio, julho, agosto, outubro e dezembro).
  • Fevereiro varia entre 28 dias e 29 dias, fazendo com que o ano tenha 365 ou 366 dias.
  • Esse dia a mais acontece nos anos bissextos, que são aqueles múltiplos de 4 e 400, mas que não são divisíveis por 100. Acontecem a cada quatro anos.
  • O calendário possui 52 ou 53 semanas com 7 dias iniciados pela segunda-feira, segundo o padrão internacional.

Por que o ano termina no dia 31 de dezembro?

Para entender o motivo de o ano terminar em 31 de dezembro, precisamos voltar para a história do calendário. Até o século VIII antes de Cristo, o ano possuía 10 meses lunares, iniciando sempre na primavera, que acontecia em meados de março. 

Porém, o ritmo dos meses não se ajustava muito bem com as estações, o que prejudicava a dominante atividade em plantações e colheitas. 

O segundo rei de Roma, Numa Pompilio, resolveu então fazer algumas alterações e acrescentou o 11º mês, ianuarius (janeiro), e o 12º, februarius (fevereiro). Do mesmo jeito, o ano romano continuou começando na primavera até 153 a.C.

Todos os anos, naquela época, em Roma, os cônsules romanos eram nomeados anualmente pelo Senado em março. Mas, em 153 a.C, o Senado precisou antecipar a data das nomeações devido à Guerra. As nomeações então passaram a acontecer em janeiro. 

Esse novo esquema de calendário acabou sendo adotado, e, depois de muito estudo, alterou-se o calendário de Roma, que deu lugar, em 46 a.C., ao calendário juliano.

Mesmo com a mudança do calendário, boa parte dos povos continuou comemorando a virada de ano em outras datas – a preferida continuava a ser em 25 de março. Ainda demoraria para que o dia 1° de janeiro fosse adotado na maior parte do mundo.

Foi só em 1350 que Pedro IV de Aragón definiu o dia do Natal, 25 de dezembro, como o ano novo oficial. No decorrer dos séculos XIV e XV, outros monarcas acabaram adotando essa mesma data. 

Já no século XVI, o reino da Espanha, em consequência ao êxito de sua expansão para a Europa, adotou o dia 1° de janeiro como a data do início do ano, e, com o passar do tempo, isso se alastrou pelo ocidente.

Ou seja, a comemoração do Ano-Novo do dia 31 de dezembro para o 1° de janeiro é bem recente. Além disso, em grande parte do mundo, principalmente em regiões onde o cristianismo não prevalece, a comemoração do “réveillon” acontece em outras datas.

Outros calendários que você pode conhecer são, por exemplo, os calendários islâmico, chinês e maia.

Gostou de descobrir a história do Ano-Novo? Continue no blog e faça uma viagem pelos museus mais antigos do mundo.

Como estimular o consumo consciente nas festas de fim ano

A gente ouve tanto falar sobre sustentabilidade, mas você já reparou nos seus hábitos nesse fim de ano? O que…

A gente ouve tanto falar sobre sustentabilidade, mas você já reparou nos seus hábitos nesse fim de ano? O que você tem feito para adotar atitudes mais conscientes em relação ao meio ambiente? Qual exemplo você tem passado para as crianças com quem convive?

Praticar um consumo consciente pode trazer benefícios como menos degradação, diminuição do desmatamento, menos perda de diversidade, redução da poluição, menos impactos negativos ao planeta e mais qualidade de vida. Pensando nisso, hoje trouxemos algumas dicas práticas e simples para adotarmos não só neste fim de ano, mas em todos nossos dias, de como praticar o consumo consciente e ensinar as crianças a fazê-lo também. Vamos às dicas!

1. Leve e deixe que as crianças explorem a feira e ao mercado em busca as frutas, verduras e legumes. Depois façam receitas juntos, usando os alimentos escolhidos.

2. Combinar um troca-troca de roupas com amigos ou parentes que possuem filhos em idades próximas é uma ótima ideia. O que não serve mais para vocês pode ser muito útil para outros.

3. Procurando o look perfeito para a virada de ano? Você não precisa comprar algo novo só para aquela noite, que tal algo que você realmente goste e vai utilizar depois? Outra dica é comprar em brechós, reformar e customizar roupas, sapatos e acessórios.

4. Passear em bosques, florestas e praias é um grande estímulo para entrar em contato com a natureza. Ande descalço, toque as árvores, respire o ar puro.

5. No momento do banho, feche a torneira enquanto ensaboa o corpo. Faça o mesmo quando estiver escovando os dentes. Ah! E incentive as crianças a fazerem o mesmo que você.

6. Mantenha uma embalagem para colocar o lixo no carro ou na bolsa.

7. Falando em carro, nas festas, opte por maneiras alternativas de transporte, como uma caminhada, ir de bicicleta, utilizar o serviço público ou até mesmo a carona solidária.

8. Utilize restos de alimentos para fazer novas receitas! Você já reparou quantas “sobras” vão ao lixo nesta época do ano? No Brasil, em média, um terço do que compramos em alimentos vai direto para o lixo. Portanto, é importantíssimo que sua festa não aumente ainda mais este desperdício.

9. Na mesa, evite utilizar materiais descartáveis, como copo e pratos de plástico. Prefira materiais retornáveis.

10. Bônus! Que tal uma receita para aproveitar partes de alimentos que geralmente são descartadas? Quem nos enviou a dica foi a Nutricionista da Seção de Alimentação e Nutrição da WEG, Rubia Antero Daniel. Pode confiar! Depois conta pra gente como ficou. 🙂

ARROZ À GREGA COM TALOS DE BRÓCOLIS E FOLHAS DE CENOURA

Ingredientes:
1 cebola média
3 dentes de alho
2 colheres de azeite de oliva
4 colheres de sopa de talo de brócolis cortados em cubinhos
1 cenoura grande cortada em cubinhos
½ pimentão vermelho cortado em cubinhos
½ lata de milho verde
½ lata de ervilha
Azeitonas verdes a gosto
½ xícara de chá de uvas passas
2 xícaras de chá de arroz cru ou arroz cozido que sobrou
Sal
2 colheres de sopa da folha de cenoura picadinha (finalização como se fosse salsinha)

Modo de Preparo
Em uma panela, refogue a cebola e o alho no óleo até a cebola no azeite de oliva. Acrescente a cenoura, os talos de brócolis picados e o pimentão e coloque meia xícara de água. Refogue em fogo alto por 2 minutos. Em outra panela, faça o arroz como de costume ou aqueça o que já estava pronto. Quando o arroz estiver seco e cozido, acrescente os legumes refogados, o milho, as azeitonas, a ervilha e a uva passa. Finalize com a folha de cenoura picadinha e sirva em seguida.

Tenha um final de ano farto de afeto e boas emoções, e aproveite para uma boa reflexão! Boas festas!