Tag: inovação

Som surround: o que é e como funciona a tecnologia que cria áudios 8D

Já ouviu falar em som surround e áudios 8D? Conheça a tecnologia que garante entregar uma experiência de imersão para o usuário.

Já imaginou se sentir em um show ao ouvir as músicas de suas bandas favoritas ou receber “massagens” no seu cérebro? Conheça a tecnologia som surround que garante entregar uma experiência de imersão para o usuário.

A tecnologia som surround passa a sensação de o usuário ser rodeado pelo som, garantindo uma imersão sonora ainda mais realista. Quer saber mais? Então é só continuar a leitura!

O que é tecnologia som surround?

De modo resumido, a tecnologia som surround possibilita que o ouvinte sinta o áudio rotacionando ao seu redor, precisando de múltiplas caixas de som ou sistemas que simulem o movimento do áudio.

Em salas de cinema e jogos do tipo FPS, já são utilizados sistemas som surround, aumentando a experiência dos usuários para que se sintam dentro daquelas histórias, como um integrante das cenas.

Mas não é preciso contar com estímulo visual para viajar nesse mar de experiências inovadoras, as músicas recebem ainda mais qualidade de reprodução quando fazem uso dessa tecnologia.

Graças ao sistema de imersão proporcionado pelo som surround, é possível identificar com mais facilidade vozes, instrumentos e efeitos sonoros, possibilitando sons mais “limpos”. Você encontra diversos áudios gratuitos com efeito som surround no YouTube, como é o caso do canal 8D Tunes.

Justamente pelo fator “qualidade de imersão”, é aconselhável ouvir áudios 8D com fones de ouvido. A maioria dos fones de ouvido vendidos atualmente conta com uma boa isolação sonora, impedindo que sons externos atrapalhem a imersão.

Existem dois estilos de fones de ouvido que causam o efeito som surround: o real e o virtual. A diferença dos dois está na qualidade da imersão, já que o real faz uso de drives diferentes dentro do fone (como o sistema de caixas de som) e o virtual simula essa imersão.

Como é criado um som surround?

Para ficar mais claro, primeiro é preciso diferenciar som 8D de som 3D. Na experiência, as diferenças são poucas, mas, em questão de criação, são bem diferentes.

Enquanto o som 3D é mais associado a efeitos proporcionados pelas gravações (localização dos músicos no estúdio), o 8D abraça a mixagem por meio de ferramentas de software, criando as rotações digitalmente.

Para que um sistema de som possa ser categorizado como “sistema som surround” é necessário que ele possa transmitir (ou similar a transição) do áudio em diversas direções.

Como saber, em dados técnicos, se um áudio é surround? De modo técnico, um áudio precisa estar classificado como 5.1, 6.1 ou 7.1 (sete alto-falantes por uma caixa de som, por exemplo).

O que som surround tem a ver com ASMR?

O ASMR (Resposta Sensorial Meridiana Autônoma) é uma técnica de reprodução sonora que é relaxante e causa arrepios cerebrais e corporais para a maioria das pessoas. Ainda não existem estudos validados sobre o que esse efeito causa no cérebro, já que não são todas as pessoas que sentem esse estímulo.

Mesmo que ainda não existam estudos comprovados, muitas terapias psicológicas fazem uso de sons suaves e sussurros para fazerem os pacientes pararem de pensar nas preocupações do dia a dia.

Justamente pelo seu efeito calmante, esses vídeos e conteúdos são muito utilizados por seus adeptos para curar insônia e transtornos psicológicos, como a ansiedade e o estresse, por exemplo.

Quando casado com um sistema som surround, é possível potencializar a “massagem” no cérebro, simulando sensações profundas e únicas.

Quer saber mais novidades sobre tecnologia? Confira o Twitter e o Instagram do Museu WEG, assim você fica por dentro do que está em alta no mundo da ciência e da tecnologia.

Você também pode conferir no Blog do Museu WEG outros assuntos mega interessantes.

Fonte:

Música 8D: cinco perguntas e respostas sobre a tecnologia de áudio – Techtudo

O mistério dos sussurros que são um sucesso no YouTube – El país

A ciência confirma: vídeos de ASMR (os sussurros do YouTube) funcionam – Superinteressante

Entenda o que é ASMR e que efeitos causa no corpo – Portal comunicare

Casa inteligente: o que é e como funciona?

Uma casa inteligente gera conforto, economia, segurança e incorpora cada vez mais funcionalidades.

Estamos vivendo a era digital e das inovações científicas e tecnológicas, onde boa parte do mundo está conectada com a internet. Com isso, os processos do nosso dia a dia têm se tornado mais cômodos e nossos utilitários mais inteligentes.

O uso de recursos que contam com conectividade Wi-Fi e Inteligência Artificial (IA) vem ganhando força em diversas áreas, como na operação de máquinas e automação dos processos produtivos, na medicina, na educação e até mesmo dentro de nossas casas.

A tecnologia dentro de casa é uma grande tendência, pois permite automatizar tarefas do cotidiano e controlar a casa como quiser, a qualquer hora e de qualquer lugar. 

Uma casa inteligente gera conforto, economia, segurança e incorpora cada vez mais funcionalidades. Vamos entender o que é uma casa inteligente?

O que é e como funciona uma casa inteligente?

A casa inteligente, também chamada de smart home, é uma casa conectada e controlada por aparelhos eletrônicos. 

Você se lembra da casa futurista da família Jetsons, em “Os Jetsons”? O desenho, referência para quem viveu nas décadas de 70, 80 e 90, mostrava casas com tecnologias avançadas e automatizadas. 

Hoje, essas tecnologias são possíveis e, diferente do desenho animado, podem ser discretas e acessíveis.

Os Jetsons viviam em uma casa futurista, com robôs e automação residencial.

Em uma casa inteligente, através de comandos de voz ou um toque no smartphone, é possível ligar e desligar algum aparelho eletrônico como o ar-condicionado ou o aspirador de pó, abrir e fechar o portão e até mesmo fechar cortinas. 

Você também conseguirá mudar de playlist, carregar aparelhos e até mesmo fazer listas de compras para o mercado. 

Vantagens de uma casa inteligente

Uma casa inteligente pode trazer diversos benefícios para os moradores. Com as tecnologias certas e criatividade, a automação residencial pode fazer muito por você em diversas áreas, como:

Segurança

A automação residencial é uma grande aliada para a segurança. Entre as opções estão, por exemplo, as câmeras de vigilância com vídeos que podem ser acompanhados em tempo real e as trancas automatizadas para portas e portões, que podem ser acionadas à distância.

Há também os sensores de presença inteligentes que identificam quando há alguém no ambiente e acendem as luzes automaticamente, por um tempo que pode ir de 10 segundos a 5 minutos, dependendo da sua preferência.

Os sensores também ajudam a evitar riscos de se acidentar ou de ser surpreendido por alguém que poderia tirar vantagem da escuridão, por exemplo.

Conforto e praticidade

Com os assistentes virtuais e sistemas de automação residencial, o dono de uma casa inteligente pode controlar praticamente tudo no ambiente sem precisar parar suas tarefas, usufruindo de muito mais conforto e praticidade.

É possível concentrar os controles remotos em um único dispositivo, reproduzir músicas, controlar a iluminação e a temperatura mesmo sem estar em casa. É possível, por exemplo, programar o ar-condicionado para quando você chegar em casa encontrar ela fresquinha.

Para os idosos, uma casa inteligente pode trazer mais autonomia como, por exemplo, uma gaveta de remédios com sensores programados, que avisam ao morador o horário da medicação.

Casas inteligentes podem ter vários aparelhos conectados no mesmo dispositivo.

Economia de energia

As tecnologias utilizadas em uma smart home permitem gerenciar e monitorar o consumo de energia da casa, além de configurar aparelhos para serem desativados automaticamente quando não estiverem sendo utilizados.

Isso quer dizer que, com uma casa inteligente, você consegue identificar dispositivos eletrônicos que gastam energia sempre que estão conectados à rede elétrica, mesmo que desligados, e interromper a alimentação de energia para esses aparelhos.

Você também pode programar as luzes da sua casa para se apagarem ou diminuir a intensidade da lâmpada depois de um determinado horário, evitando que alguma seja esquecida acesa por toda a noite. 

WEG Home: sua casa inteligente com a WEG!

A WEG está sempre inovando no setor tecnológico e as casas inteligentes também podem contar com uma linha super especial: a WEG Home. A linha nasceu para simplificar rotinas, transformar ambientes e cuidar do que é importante para você. 

Os produtos são voltados às soluções que geram conforto, economia e segurança. Entre eles estão os módulos de controle para iluminação e energia, sensores de presença e abertura de portas e janelas, câmeras IP e o controle universal.

Conheça a WEG Home:

Viu só? Com criatividade e conectividade, sua casa pode ser ainda mais confortável e segura. E você? Já começou a automatizar sua casa? Conta pra gente por onde começou ou pretende começar! 

Veja também: 3 coisas comuns hoje que eram high tech há 100 anos ou menos. 

6 inovações tecnológicas a favor do meio ambiente

Existem milhares de pessoas preocupadas em desenvolver técnicas para ajudar nosso ecossistema.

Estamos longe de alcançar um planeta ecologicamente sustentável e, nesta busca, muito se fala sobre sustentabilidade para construir um mundo melhor para as futuras gerações. A tecnologia tem um papel importantíssimo nisso – e existem milhares de pessoas preocupadas em desenvolver técnicas para ajudar nosso ecossistema, investindo em desenvolvimento sustentável e buscando maneiras de utilizar o meio ambiente sem esgotar seus recursos naturais.

O ser humano é realmente uma criatura inovadora e muitos trabalham buscando soluções para melhorar nosso dia a dia e salvar nosso planeta. Essa inquietude ajuda a solucionar problemas antigos e outros que ainda estão por vir, a tecnologia nem sempre é um aparelho moderno, ela também pode ser uma nova técnica, processo, método ou instrumento que facilite, ou mude algo, no nosso cotidiano. Conheça a seguir 06 inovações tecnológicas a favor do meio ambiente.

1. Flores robóticas impressas em 3D

Talvez você já tenha lido em algum lugar que as abelhas estão desaparecendo a uma velocidade sem precedentes. E isso é verdade. As abelhas estão sofrendo devido a diversas doenças, ácaros ectoparasitas, mudanças climáticas, pesticidas e fragmentação de seus habitats.

O cenário é preocupante porque o declínio desses pequenos insetos voadores afeta diretamente a biodiversidade e a produção global de alimentos. Abelhas são uma parte vital do ecossistema – são elas que mantêm nossas plantas polinizadas.

sustentável 03

O artista Michael Candy desenvolveu um método inovador de polinização artificial (Crédito: Sarah Werkmeister)

Preocupado com a situação das abelhas em todo o mundo, o artista Michael Candy desenvolveu o Synthetic Pollenizer, um método inovador de polinização artificial. O sistema usa flores robóticas impressas em 3D para atrair os insetos e também conclui a fecundação das plantas com eficiência e segurança. Sem perceber a diferença para uma flor normal, os insetos bebem o néctar e transportam os grãos de pólen a outras flores, concluindo o processo de fecundação.

O Synthetic Pollenizer é equipado com pólen, néctar, pétalas impressas em 3D e um estame (órgão masculino das plantas que produzem flores) sintético. A estrutura é conectada a uma rede complexa de motores e tubos, que empurram uma solução de néctar artificial até a superfície das flores para, então, convidar as abelhas e iniciar o processo de de polinização.

2. Autodestruição eletrônica

Você já parou para pensar qual é o destino de celulares, tablets, notebooks e demais dispositivos eletrônicos, quando não possuem mais uso? A tecnologia faz com que os aparelhos eletrônicos sejam substituídos por outros mais modernos com muita rapidez. E, geralmente, as pessoas não sabem o que fazer com esses aparelhos ‘antigos’ e fazem o descarte em locais impróprios. Pensando nisso, alunos e professores da Universidade do Iowa, nos Estados Unidos, criaram um mecanismo de autodestruição, que faz com que os aparelhos desapareçam quase instantaneamente – o “botão” de autodestruição pode ser acionado por calor ou por controle remoto.

A equipe já conseguiu criar alguns diodos de emissão de luz que podem ser destruídos automaticamente, mas o que eles querem fazer é mais complexo, como criar um cartão de crédito que é dissolvido em caso de perda – exigindo apenas um sinal remoto, que poderia ser enviado de um smartphone. Apesar de ainda estarmos longe disso, planos mais ambiciosos vão desde os smartphones autodestrutíveis até aplicações militares. 

3. Chaminés não poluentes

Segundo estimativas, a poluição na China é responsável por causar cerca de 350 a 400 mil mortes prematuras todos os anos. Preocupados com a situação, iniciativas vêm surgindo para reduzir esses índices. Um exemplo disso é que o país construiu uma enorme chaminé de 60 metros em Xi’an, uma das cidades mais poluídas.

sustentável 02

A China construiu uma enorme chaminé de 60 metros em Xi’an (Crédito: David Y. H. Pui)

Apesar de parecer somente uma chaminé tradicional, a estrutura foi projetada para atuar como um sistema de purificação do ar externo, filtrando partículas nocivas e soprando ar limpo no céu. O design aproveita o aquecimento solar para aquecer as partículas poluentes na base da chaminé.

4. Fazendas solares flutuantes

Fazendas solares flutuantes na cidade de Kato, Japão Foto: Kyocera / Divulgação

Essa tecnologia desenvolvida por engenheiros norte-americanos pode ser utilizada para evitar a evaporação da água de represas e ainda gerar energia. Um exemplo disso foi que uma empresa japonesa apresentou duas fazendas solares flutuantes, construídas na cidade de Kato, no Japão. A primeira gera 1,7 MWh (megawatts/hora), e a segunda gera 1,2 MWh – o suficiente para abastecer cerca de 1.000 casas. Segundo a empresa, além de evitar a perda de água das lagoas pela evaporação, painéis solares instalados sobre a água produzem mais energia por causa do efeito de resfriamento induzido pela água – já que as células solares operam de forma mais eficiente em temperaturas mais baixas.

5. Brinquedos feitos de materiais biodegradáveis

O plástico usado em brinquedos infantis vem prejudicando muito o meio ambiente. Esse material é capaz de permanecer em aterros sanitários durante séculos ou mesmo sobreviver nos oceanos por milhares anos, prejudicando o ecossistema e fazendo mal os animais marinhos.

Sabendo da contribuição com o problema – e sendo uma das maiores produtoras de blocos de plástico coloridos todos os anos –, a empresa LEGO lançou uma nova linha feita inteiramente de materiais biodegradáveis. Os novos brinquedos são “tecnicamente idênticos” à versão tradicional, possuindo a vantagem de poluir menos o planeta.

sustentável 05

Linha de brinquedos feita inteiramente de materiais biodegradáveis (Crédito: LEGO)

Esses brinquedos de materiais biodegradáveis são feitos a partir de um processo que transforma a cana-de-açúcar em plástico vegetal. O composto é macio ao toque e ecologicamente correto, possuindo a mesma qualidade ou aparência dos já conhecidos bloquinhos de montar.

6. Compostagem doméstica

Esta técnica você pode fazer em casa! A compostagem doméstica é um grande exemplo de tecnologia tradicional, e é bem simples de construir: normalmente, são 3 caixas plásticas sobrepostas com uma torneira acoplada, preenchidas com terra e minhocas, e nada além disso. A estrutura serve para reduzir a quantidade de lixo orgânico descartado e reaproveitá-lo, transformando-o em adubo para hortas ou demais cultivos.

Estima-se que, com a compostagem residencial, seja possível reduzir até 70% do lixo orgânico gerado em casa. Cascas de frutas e legumes, talos, folhas de verduras, folhas secas, alimentos cozidos, borra de café, entre outros resíduos, podem ser depositados na composteira e reaproveitados. E já que o assunto é reaproveitar o lixo, você conhece a tecnologia que a WEG desenvolveu para gerar energia a partir de Resíduos Sólidos Urbanos

Viu só? Essas são só algumas das milhares de inovações tecnológicas usadas em favor do meio ambiente. Os avanços obtidos nessa área também ajudam na preservação do planeta e criam novos empregos todos os anos. Ah! Mas uma coisa é certa: de nada adiantam tantas invenções maravilhosas se cada um não fizer sua parte. Dificilmente a tecnologia sozinha irá dar conta de reverter todos os danos ambientais, é nosso dever cuidar do nosso lar e do nosso meio ambiente. Seja consciente!