Tag: aprender brincando

Brincar faz parte do desenvolvimento infantil. Uma infância com brincadeiras é mais divertida e possui vantagens nos campos cognitivo, psicológico, social e afetivo.

Brincando, a criança desenvolve novas habilidades e a curiosidade pela busca de novas respostas. O bom jogo é aquele em que o indivíduo é desafiado a ampliar sua capacidade de pensar e agir, seja sozinho ou em grupo.

Aprender não deve ser um processo entediante. Por isso, é preciso conquistar a atenção das crianças – e jogos e brincadeiras podem ser grandes aliados para isso. Conheça agora algumas vantagens de incluir jogos e brincadeiras na aprendizagem infantil.

Vantagens de jogos e brincadeiras na aprendizagem infantil

No Brasil existem diferentes métodos de ensino que tornam a aula mais dinâmica e interessante. Ao conhecê-los, os professores podem promover diversas experiências e oportunidades de aprendizado para seus alunos, inclusive incluindo jogos e brincadeiras. 

Isto porque incluir jogos e brincadeiras na aprendizagem infantil possibilita que a criança compreenda as informações de forma mais natural, pela forma que o assunto é abordado e pela linguagem específicas da infância.

As brincadeiras devem ser coordenadas e seguir uma estratégia de ensino e de aprendizagem, favorecendo a construção do conhecimento científico e proporcionando a vivência de situações reais ou imaginárias.

Vale lembrar que jogos e brincadeiras não são apenas para crianças! Conheça jogos que ajudam a exercitar a mente em todas as idades. Aprender brincando transforma tarefas e promove o engajamento dos envolvidos. Veja alguns benefícios:

1. Familiaridade

Hoje em dia, boa parte das crianças cresce em contato com algum tipo de jogo, seja digital ou analógico. Muitas aprendem a jogar antes mesmo de serem alfabetizadas.

Sendo assim, os jogos fazem parte do universo do estudante e utilizá-los no processo de aprendizagem pode aproximar a criança dos estudos. 

2. Aulas dinâmicas

Um ambiente lúdico faz com que o ensino seja mais prazeroso, flexível e motivador, estimulando as crianças a completar tarefas e participar ativamente no processo de aprendizado.

3. Desenvolvimento da área motora

A exposição tecnológica atual hiperestimula a área cognitiva e pouco a parte motora e afetiva. Por isso, as brincadeiras são indispensáveis para que haja diversidade e equilíbrio no desenvolvimento dos pequenos.

Por meio dos jogos e brincadeiras, é possível criar  uma série de situações que envolvam equilíbrio, com desafios corporais, manuseio de objetos, obstáculos e alvos. 

4. Compreender e constituir regras 

Em brincadeiras, as crianças começam a aprender e estabelecer regras constituídas por si e/ ou pelo grupo. Dessa forma, elas aprendem a resolver conflitos e desenvolvem sua capacidade de entender pontos de vista diferentes do seu e de se fazer entender.

5. Ganhar e perder

Durante as brincadeiras, os estudantes aprendem a esperar a sua vez e também a ganhar e perder. Dessa forma também é incentivada a autoavaliação da criança, que poderá constatar por si mesma seus avanços e fortalecer sua autoestima.

Aprender brincando no Museu WEG

Vimos algumas vantagens de incluir jogos e brincadeiras na aprendizagem infantil. E motivados por isso, aqui no Museu WEG oferecemos Ações Educativas para turmas de ensino fundamental e médio.

As Ações Educativas buscam integrar conhecimento e diversão através de jogos e brincadeiras que buscam o desenvolvimento completo, trabalhando competências e habilidades essenciais para o futuro.

Conhecimento e diversão andam lado a lado no Museu WEG.

Entre as Ações Educativas estão assuntos como: A Evolução das Máquinas e a Revolução Industrial; Energia Solar Fotovoltaica; Preservação da Água e Captação de Água da Chuva; Fenômenos Eletromagnéticos; e Gerando e Transformando Energia.

Ainda não conhece as nossas atividades? Então acesse a página e conheça as nossas Ações Educativas, estamos esperando por você e sua turma!

Com Ciência: conheça o blog do Museu WEG

Com Ciência: conheça o blog do Museu WEG!

Já imaginou um lugar para conhecer diversas curiosidades do mundo da Ciência e Tecnologia? Essa é a proposta do Com Ciência: o blog do Museu WEG. Com conteúdos de fácil entendimento, o blog se propõe a trazer assuntos que vão desde a história da WEG e da energia elétrica, passando por conteúdos de física, bibliografias de grandes cientistas e curiosidades incríveis como o que aconteceria se a Terra parasse de girar de repente. Muitas dicas de livros, filmes, documentários e experiências científicas para todas as idades.

Nele você tem a possibilidade de conhecer desde processos básicos relacionados à energia, magnetismo e eletromagnetismo até suas aplicações no cotidiano. Compreender os fenômenos físicos e a forma como nossa sociedade se apropria deles,um exemplo é entender a complexidade das operações envolvidas no simples ato de acender uma lâmpada, ou como funcionam os complexos aceleradores de partículas – e até mesmo encontrar entrevistas com brasileiros que trabalham nesses super laboratórios pelo mundo.

Com Ciência: o blog do Museu WEG nas escolas

Turma do 4º ano do Colégio Conexão se reuniu para uma visita virtual guiada ao Museu WEG

Entre as mudanças que o ano de 2020 nos trouxe, está a adaptação ao ensino à distância, o EAD. E o blog do Museu WEG também esteve presente nas “salas” de aula virtuais. Foi o que aconteceu com a turma do 4º ano do Colégio Conexão, que realizou uma atividade com base em nossas dicas de experiências para fazer em casa ou na escola. A professora da disciplina de Cultura Maker apresentou a matéria do blog aos alunos e solicitou que eles escolhessem e desenvolvessem uma das experiências propostas, com ajuda dos pais, os alunos gravaram vídeos demonstrando o experimento. Após a apresentação dos projetos, a turma realizou uma visita virtual através do site do museu, o resultado dos experimentos você confere nas imagens abaixo.

Alunos realizam atividades propostas no blog Com Ciência

Ao conectar tanta informação num só lugar, o blog Com Ciência oferece uma experiência inclusiva, onde alunos e professores podem buscar informações e atividades para aprender brincando – e a experiência fica ainda mais completa com uma visita virtual guiada. Se você é professor e está querendo uma experiência diferente e divertida para seus alunos neste novo ano, entre em contato para agendar uma visita virtual! Será um prazer recepcionar vocês.

Aprender brincando: 5 brincadeiras para aprender sobre Ciências

Fizemos uma lista de 5 brincadeiras para aprender sobre ciências. Vamos conhecer?

Entreter as crianças durante as férias nem sempre é uma tarefa fácil, é preciso buscar alternativas para que elas se divirtam e aproveitem os dias de descanso. A boa notícia é que é possível aproveitar as férias e ainda aprender sobre assuntos importantes que são vistos em aula. Pesquisas já identificaram que crianças que usam jogos para aprender conceitos de ciência conseguem absorver o conhecimento com mais facilidade. As brincadeiras educativas podem ajudar as crianças a desenvolverem o senso crítico e a capacidade de observação, bem como seguirem etapas, processos e regras. 

Desse modo, uma das opções para tornar as férias mais legais e o aprendizado mais simples e prazeroso é buscar brincadeiras alternativas para que elas se divirtam e também aprendam. É por isso que fizemos uma lista de 5 brincadeiras para aprender sobre ciências. Vamos conhecer?

1 – Propriedades do Ar

Este é um desafio para ajudar a explicar as propriedades do ar e ver, na prática, a lei de Newton que determina que dois corpos não ocupam o mesmo lugar ao mesmo tempo. Também ensina que, apesar de ser invisível e intocável, o ar tem peso e pode ser comprimido e expandido.

Para fazer esse experimento com as crianças, você precisará de:

– Uma bacia cheia de água

– Um canudo

– Uma garrafa pet pequena

A brincadeira consiste em colocar a garrafa destampada dentro da bacia e deixar que a água entre. A garrafa afundará. Chame as crianças e solte o desafio: fazer a garrafa subir sem encostar a mão nela. Deixe que elas tentem encontrar várias soluções tendo apenas um canudo em mãos.

O ar faz o trabalho

A solução é a seguinte: ao colocar o canudo na garrafa (ainda com ela dentro da bacia) e assoprar, o ar entra, e a água que está dentro da garrafa sai. Ou seja: dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço. Assim a garrafa subirá, e o desafio estará concluído. Legal, não é? Mais uma descoberta para a conta!

2 – Erupção colorida

O bicarbonato de sódio é um material bem simples e com mil utilidades. O experimento Erupção Colorida faz o maior sucesso entre as crianças. Acompanhe o passo a passo no vídeo abaixo. 

Material necessário: 

– Bicarbonato de sódio

– Corante de alimentos (não é obrigatório, mas faz a brincadeira ficar mais divertida)

– Vinagre

– Detergente líquido

– Recipientes de vidro (garrafinhas ou copos)

– Colheres de sopa

Gostou? As crianças ficam encantadas! O que acontece neste experimento é uma reação química entre o vinagre e o bicarbonato de sódio. Na hora em que eles entram em contato um com o outro, uma espuma começa a borbulhar. Isso ocorre porque eles passam por uma reação química conhecida como ácido carbônico. A grande questão é que esse ácido carbônico imediatamente se decompõe e vira dióxido de carbono – responsável por formar as bolhas.

3 – Um modelo de DNA construído com balas de goma

O DNA contém as informações a respeito de todas as nossas características. Ele é constituído por duas cadeias de nucleotídeos ligadas entre si através de ligações de hidrogênio. Essa estrutura se mantém em uma forma de hélice, como uma escada disposta em espiral. Contudo, poucas pessoas conhecem a estrutura e os componentes dessa impressionante molécula.

Uma boa forma de despertar a atenção das crianças para conhecer um pouco mais sobre o DNA é construindo a estrutura do DNA com balinhas de goma.

Você precisará de:

– Balas de goma, que representarão as bases nitrogenadas

– Palitos de dente, que representarão as ligações de hidrogênio

– Arame fino e maleável, que representará açúcar e fosfato

A montagem é simples: corte o arame em dois pedaços iguais. O ideal é que tenha até 30 centímetros de comprimento cada um. Pegue as balas de goma e coloque uma em cada ponta do palito de dente. Você deverá padronizar as cores para cada base nitrogenada. Por exemplo: amarela para a adenina e verde para a timina. Desse modo, a bala verde só poderá fazer par com a amarela.

Depois de formar os pares de balinhas, passe o arame pelo interior delas ligando os pares uns aos outros. Após passar por todos os pares, você terá um modelo semelhante a uma escada, mas lembre-se de que o DNA possui forma helicoidal. Por isso, você precisará torcer o arame.

Ele deverá se parecer com o resultado abaixo:

DNA de balinhas de goma. Fonte Colégio Ressurreição 

4 – Plante um feijão para aprender sobre ciências

Este experimento já é um clássico, e as crianças amam. A proposta é que essa experiência seja feita com um pote de geleia – ou qualquer outro pote de vidro reutilizado – de modo que seja possível ver a germinação por completo. É um jeito muito bonito e oportuno de observar o crescimento de uma planta. Observar a germinação da vida é um aprendizado importante, e essa atividade poderá gerar interesse e curiosidade sobre plantas.

Materiais necessários:

– Pote de vidro

– Um feijão

– Algodão

– Água

A “plantação” é super fácil: umedeça o algodão com a água e encha o vidro com o algodão úmido. Encaixe o feijão no algodão na lateral do vidro de modo que possamos ver o grão através do vidro.

A responsabilidade da criança é não deixar o algodão ficar seco. Uma vez por dia (ou quando necessário), ela deverá regar com água aos pouquinhos para manter o algodão úmido o tempo todo. Em cerca de 3 dias, a raiz começará a aparecer no feijão. Quando o feijão crescer mais de 20 centímetros, tire ele do vidro e convide a criança para plantar ele em um pote de terra.

Dica: tire uma foto da planta todos os dias para depois lembrar como foi o seu crescimento. Foto: My first nature book

5 – Jogos digitais educativos

Existe um site recheado de jogos educativos e que está ao alcance de todos gratuitamente. Trata-se do Ludo Educativo. O objetivo dos jogos disponíveis no portal é conseguir que a criança aprenda sem notar que está praticando matérias curriculares (pré-concebidas como “chatas”).

Por meio de reforços positivos e recompensas imediatas, podemos fazer com que, por repetição, o aluno associe que o conhecimento não é entediante nem uma questão de memorização, mas sim de integração do conhecimento ao seu dia a dia. Feitos por professores e universidades, os jogos foram desenvolvidos para matérias ou temas curriculares. 

Gostou das dicas? Aproveite para chamar as crianças e fazer uma visita virtual no Museu WEG