Conheça os diferentes tipos de lâmpadas



Você conhece os diferentes tipos de lâmpadas e qual é o melhor jeito de descartá-las?

Quando vamos comprar uma lâmpada nos deparamos com diferentes tipos, voltagens, formatos e cores. São lâmpadas incandescentes, halógenas, fluorescentes e LED, cada uma com suas características, durabilidade e preço. Além de serem essenciais para nossas residências, elas também funcionam como decoração. Hoje vamos falar sobre os tipos de lâmpadas, quais trazem diferenças significativas no ambiente e também na conta de luz.

 

1 . Lâmpada incandescente

incande

Inventada pelo Thomas Edison em 1879, foi o primeiro modelo que permitiu usar a eletricidade para a geração de luz. Por serem os modelos mais baratos, as lâmpadas incandescentes ainda são muito procuradas no país. Porém, elas não são muito econômicas. Por converter a energia em luz e calor, esse tipo de lâmpada consome mais. Apenas 5% da energia gerada é convertida em luz. Os 95% restantes são transformados em calor, explicando o grande desperdício que geram. A média de vida é de 750 horas, durabilidade considerada baixa por conta do rápido desgaste do filamento de tungstênio. Ela não é mais fabricada desde 2016.

 

Vantagens da lâmpada incandescente:

  • É mais barata
  • Gera muita luz

 

Desvantagens da lâmpada incandescente:

  • Esquenta muito
  • Consome mais energia elétrica
  • Tem vida útil reduzida


2. Lâmpada halógena

halog

Desenvolvidas em 1955 pelos engenheiros da Philips, as lâmpadas halógenas são um tipo de lâmpada incandescente, só que mais eficientes, possuem filamento de tungstênio, normalmente envolvido por quartzo — diferentemente das lâmpadas comuns, em que o filamento fica livre. Isso significa que o seu processo de iluminação é diferenciado e mais eficiente. A lâmpada halógena possui uma potência superior e gera mais calor comparada à lâmpada de LED. Parte desse calor é jogada para o ambiente, o que aumenta a temperatura do local. Estima-se que as lâmpadas halógenas durem 2000 horas, podendo chegar até 5000 horas.

 

As principais características das lâmpadas halógenas são a aparência natural que ela traz ao ambiente com uma luz branca e brilhante, se assemelhando à iluminação natural e mantendo maior fidelidade das cores. Esse tipo de lâmpada tende a ser mais barata e é encontrada em vários modelos.

 

Vantagens das lâmpadas halógenas:

  • Alto índice de reprodução de cores;
  • Variedade de formatos;
  • Lâmpadas compactas e de elevada intensidade luminosa.

 

Desvantagens das lâmpadas halógenas:

  • Elevado consumo;
  • Baixa durabilidade, comparada com outras tecnologias de iluminação, como a LED;
  • Elevado aquecimento, podendo ser um problema conforme o local de instalação.

 

3 . Lâmpada fluorescente

fluo

Criada em 1895 por Nikola Tesla. Esse tipo de lâmpada pode ser tubular ou compacta, é 80% mais econômica e dura quase 10 vezes mais que a incandescente. Nela, a corrente elétrica emite radiação ao passar por uma mistura de gases e vapor de mercúrio, que fica dentro do tubo. Esse tubo é revestido por um fósforo que transforma a radiação em luz visível. Fornece Luz agradável com temperatura de cor que pode variar de 2.700K (luz quente) até 6.500K (luz fria). Sua média de vida é de 8.000 horas e, apesar do custo ser quase 5 vezes mais do que as incandescentes, duram mais e são mais eficientes. Você pode economizar até 80% na conta de luz ao substituir uma lâmpada incandescente de 60W de potência por uma fluorescente de apenas 15W.

 

Vantagens da lâmpada fluorescente:

  • É mais eficiente energeticamente;
  • Consome menos energia do que as incandescentes;
  • Emite luz branca;
  • Apesar de ser mais cara, ainda é acessível;
  • Pode ser encontrada em vários modelos.

 

Desvantagens da lâmpada fluorescente:

  • Altamente poluente por ter mercúrio e fósforo, logo seu descarte deve ser feito em empresa especializada;
  • Apesar de mais econômica, consome muita energia elétrica se comparada com os modelos de LED, por exemplo.

4 . Lâmpada LED

led

Inventadas em 1961 por Robert Biard e Gary Pittman, as lâmpadas de LED são as mais modernas do mercado. São totalmente eletrônicas, compostas de um ou mais diodos emissores de luz, ou seja, semicondutores elétricos fabricados com arseneto de alumínio e gálio, entre outros, que ao receberem energia elétrica, convertem-na em luz, gerando bem menos calor do que as lâmpadas incandescentes, o que representa menos perdas. Esse modelo chega a durar até 50 vezes mais que a incandescente e proporciona economia de até 80% na conta de luz. A versatilidade, a alta eficiência energética e a altíssima durabilidade são os benefícios mais consagrados do LED.

 

Vantagens das lâmpadas de LED

  • É muito econômica;
  • Não emite calor e portanto é considerada uma lâmpada fria;
  • Tem longa durabilidade;
  • Há vários modelos e várias aplicações.

 

Desvantagens das lâmpadas de LED

  • O custo é bastante elevado se comparado com os demais modelos. Mas a longevidade justifica o custo; 
  • Gera pouca luminosidade e portanto é preciso de mais lâmpadas para o mesmo efeito.

 

Bônus: Lâmpada de Filamento

filamento

Inspirada nas primeiras lâmpadas criadas por Thomas Edison no final do século XIX, as queridinhas dos amantes da decoração possuem um estilo retrô e filamentos de carbono que formam diversos desenhos dentro do bulbo de vidro, dando charme para as lâmpadas. Elas transformam o local, sendo utilizadas em luminárias, lustres e pendentes. Por consumirem bastante energia elétrica, não devem ser usadas como iluminação principal de um ambiente, apenas com um toque decorativo. 

 

Uma lâmpada muito antiga

No acervo do Museu WEG você pode ver uma lâmpada de 1890 que pertencia a um dos donos da WEG, o Sr. Werner. Ela é composta por uma base em alumínio dourado rosqueado, um bulbo de vidro contendo gás inerte ou vácuo em seu interior para proteger o filamento de carbono de alta resistência muito fina que, aquecida acima de aproximadamente 900K, passa a emitir luz, inicialmente bastante avermelhada e fraca, passando ao alaranjado e alcançando o amarelo, com uma intensidade luminosa bem maior, ao atingir sua temperatura final, próximo do ponto de fusão do carbono, que é de aproximadamente 3800K.


image

Lâmpada de 1890 – acervo do Museu WEG

 

Descarte correto

Quando é necessário fazer o descarte de uma lâmpada, é comum termos dúvida sobre o modo de descartar: podemos jogar as lâmpadas no lixo comum? Além do perigo que o vidro pode causar para os garis, algumas lâmpadas como as fluorescentes possuem substâncias tóxicas que são prejudiciais à saúde e ao meio ambiente.

Todos os componentes das lâmpadas são reaproveitáveis: vidro, metal e os componentes químicos. Quando estes materiais são separados adequadamente e descontaminados, conforme determinado em legislação ambiental específica, eles podem ser reaproveitados. 

Tanto os fabricantes quanto as lojas que vendem lâmpadas devem possuir postos para a coleta e o descarte correto das mesmas. Então, não deixe que este material seja levado para aterros comuns, quando for comprar uma nova lâmpada, encaminhe as velhas ou queimadas para o descarte correto.

 

Posts Relacionados