Tag: eletromagnetismo

Christian-Oersted

Quem foi Hans Christian Oersted?

Físico, químico e eterno estudioso, foi ele quem abriu caminho para o desenvolvimento do eletromagnetismo. Nascido em 1777, na Dinamarca,…

Físico, químico e eterno estudioso, foi ele quem abriu caminho para o desenvolvimento do eletromagnetismo. Nascido em 1777, na Dinamarca, Hans Oersted desenvolveu desde cedo o interesse pela ciência. Sob influências do pai farmacêutico, formou-se em Farmácia no ano de 1797 e tornou-se doutor em Filosofia em 1799.

Em uma viagem pela Europa, conheceu Johann Wilhelm Ritter, um físico que acreditava na existência de uma ligação entre a eletricidade e magnetismo. A partir daí, Oesrted começou sua incansável busca pela relação entre os dois fenômenos. Isso porque, naquela época, a eles eram encarados como fenômenos independentes e totalmente excludentes.

A experiência de Oersted

Foi em 1820, através do “Experimento de Oersted”, que o cientista comprovou a relação entre a eletricidade e o magnetismo.

Oersted posicionou uma bússola próximo a um circuito elétrico simples e percebeu que a agulha imantada da bússola sofria deflexões quando existia corrente elétrica no circuito. Se a corrente era interrompida, a agulha voltava à sua posição normal, apontando sempre para o norte geográfico.

A única explicação possível para a deflexão sofrida pela agulha imantada era a presença de um campo magnético que concorria com o campo magnético terrestre. Assim, Oersted concluiu que cargas elétricas em movimento geravam campo magnético.

Esse experimento possibilitou a criação e fabricação do galvanômetro, instrumento composto por uma agulha imantada e uma bobina que era capaz de indicar a presença de corrente elétrica em um circuito.

Ao utilizar o aparelho galvânico, muito mais poderoso, percebeu o mesmo fenômeno com muito mais clareza. Após obter o mesmo resultado diversas vezes, surge uma nova ciência nascida da união entre a eletricidade e o magnetismo: o eletromagnetismo. E estabeleceu-se a lei fundamental do eletromagnetismo.

Leia mais sobre o Eletromagnetismo aqui.

Depois de ter realizado estudos de química, física e ter comprovado o eletromagnetismo, Hans fundou na Dinamarca uma Sociedade para o Desenvolvimento do Estudo da Ciência, foi nomeado Conselheiro do Estado e fundou a Escola Politécnica de Copenhagen. Oersted faleceu em Copenhagen em 9 de março de 1851.

Fonte: Brasil Escola, Mundo Educação e UFJF

historia-telefone

A história do telefone que você precisa conhecer

“Sr Watson, venha aqui. Quero ver você”. Esta foi a primeira frase dita através de um telefone, há exatos 142…

“Sr Watson, venha aqui. Quero ver você”. Esta foi a primeira frase dita através de um telefone, há exatos 142 anos. Quem fez a ligação – de um cômodo a outro – foi Graham Bell, um professor escocês que morava nos Estados Unidos e o inventor do aparelho. Do outro lado da linha estava Thomas Watson, seu auxiliar e que participou de todo o processo de construção do primeiro protótipo.

historia-telefone

De lá para cá, nem precisa dizer o quanto o telefone mudou e a vida de todos nós também a partir dele. A invenção de Graham Bell, patenteada em 10 de março de 1876, está entre as principais ações no terreno da ciência e da tecnologia do século XIX – considerado o século da Segunda Revolução Industrial e das pesquisas em torno dos fenômenos relacionados com a eletricidade e o eletromagnetismo.

Também é importante referenciar o italiano Antonio Meucci, que foi responsável pela criação do telégrafo e do princípio que daria origem ao telefone. Inclusive, em 2002 os Estados Unidos reconheceram Meucci como o inventor oficial do telefone.

Quando o telefone chegou no Brasil?
Foi um ano depois, em 1877, quando foram instaladas as primeiras linhas telefônicas do país. Essas linhas ligavam o Palácio da Quinta da Boa Vista à residência dos ministros do imperador.

Curiosamente, o primeiro usuário do telefone foi o próprio imperador D. Pedro II. Interessado em assuntos de tecnologia, ele havia participado da Exposição Centenária, que comemorou os 100 anos de independência dos Estados Unidos. Na ocasião, Graham Bell apresentou sua invenção ao público e fez uma demonstração.

historia-telefone

E as centrais telefônicas?
O Rio de Janeiro foi a segunda cidade do mundo a ter uma linha telefônica, depois de Chicago, nos Estados Unidos. Por conta da rápida popularidade do telefone, houve a necessidade de implantar as centrais telefônicas para atender o crescente número de linhas.

As centrais eram operadas por telefonistas que se conectavam manualmente aos telefones dos usuários e assim eram feitas as ligações. A série “As Telefonistas”, do Netflix, mostra como funcionavam as primeiras centrais. Ela se passa na Espanha dos anos 1920, mas serve para demonstrar como era essa realidade que literalmente ficou no passado.

Encurtando distâncias
O telefone foi uma das grandes invenções do século XX. Até parece que o mundo ficou menor com ele. Afinal, na prática o telefone encurtou distâncias, já que quase tudo passou a ser resolvido ao discar números no aparelho.

Passados 142 anos, seu formato evoluiu e ele se tornou móvel, firmando-se como uma peça imprescindível na vida de todos, a ponto de em alguns países, como o Brasil, o número de aparelhos de celular superar o de habitantes.